O futebol italiano viverá seu recomeço nesta sexta-feira, e logo com um grande jogo. Juventus e Milan se enfrentam pelas semifinais da Copa da Itália, para definir o primeiro classificado à decisão do torneio. Sem torcida, os bianconeri poderão atuar em Turim, após o empate por 1 a 1 na partida de ida em Milão. E, se depender do retrospecto histórico, a confiança da Velha Senhora aumenta. Os juventinos sustentam uma invencibilidade de 35 anos contra os milanistas na Coppa, com cinco classificações e três finais vencidas no período.

A série de 13 partidas invictas da Juve começa exatamente contra o Milan mais forte da história: na decisão da Copa da Itália em 1990, os bianconeri desbancaram os bicampeões europeus para ficar com a taça. As outras finais recentes aconteceram em 2016 e 2018. Além disso, foram três embates por semifinais. Um dos mais marcantes se deu em 2001/02, antecedendo a final da Champions entre os dois rivais na temporada seguinte.

A Serie A em 2001/02 ficou nas mãos da Juventus, com o Milan assistindo à distância a disputa com a Roma pelo Scudetto. A grande chance de título dos rossoneri viria na Copa da Itália, frustrada pela Velha Senhora nas semifinais. Foram duelos parelhos entre os times de Carlo Ancelotti e Marcello Lippi, embora os dois treinadores tenham utilizado diversos reservas – especialmente na partida de ida, em Milão, realizada ainda em janeiro de 2002. E por lá a Juve começou a desenhar sua classificação, com o triunfo por 2 a 1.

O Milan até saiu em vantagem no placar, num tiro rasante de Javi Moreno ainda no primeiro tempo. Entretanto, a Juventus buscou a virada na segunda etapa. Logo no início, Alessandro Brindelli contou com um desvio na marcação para vencer o goleiro Sebastiano Rossi. E o placar só seria definido aos 42, com a participação do ídolo Alessandro Del Piero, que saíra do banco. Cristian Zenoni cruzou da direita e a bola atravessou toda a área, até o camisa 10 completar no segundo pau. A vantagem para o retorno em Turim era ótima.

O reencontro no Estádio delle Alpi contou com equipes bem mais fortes. Ancelotti botou em campo desde o início nomes como Andriy Shevchenko, Andrea Pirlo e Demetrio Albertini. Já na Velha Senhora, Lippi confiava em Pavel Nedved, Edgar Davids e Lilian Thuram. Os milanistas criaram esperanças aos 27 minutos, com um gol de cabeça de José Mari, completando um lançamento soberbo de Pirlo. Todavia, de novo a Juve se recuperou – e com um golaço de Gianluca Zambrotta. O camisa 19 deixou três marcadores falando sozinhos e atirou com força, sem chances a Rossi.

A Juventus não terminaria com a dobradinha nacional, porém. A equipe perdeu a final da Copa da Itália naquele ano para o Parma. Apesar da derrota por 2 a 1 em Turim, os Crociati venceram por 1 a 0 no Ennio Tardini e foram premiados pelo gol fora de casa. O lateral Júnior assinalou o tento decisivo, naquele que foi o último título dos gialloblù. Já o Milan teria sua vingança contra os juventinos meses depois, na final da Champions, com uma escalação reforçada e a glória nos pênaltis garantida por Dida.

Juventus x Milan se enfrentam às 16h (horário de Brasília) nesta sexta, com transmissão exclusiva do DAZN. Para assinar a plataforma, você pode acessar este link – e, por tabela, ajudar a Trivela.