Não havia na história recente um Dérbi de Merseyside tão equilibrado quanto este em termos de prognósticos. Dentro de campo, as previsões se confirmaram, e Everton e Liverpool fizeram um duelo com boas chances para ambos os lados e, diferentemente de alguns dos confrontos anteriores, gols. No final, o 2 a 2 pareceu um resultado justo ao que as duas equipes apresentaram no gramado do Goodison Park.

O Liverpool começou o primeiro tempo com tudo. Aos três minutos de jogo, Salah abriu o jogo pela esquerda com Robertson, que se livrou bem da marcação de Coleman e passou rasteiro para o meio da área. Sozinho, Mané chegou chutando forte, sem chances para Pickford, abrindo o placar.

Em lance crucial ainda no início do jogo, Virgil van Dijk foi para a dividida com Pickford e sofreu uma dura entrada do goleiro. Em condições normais, o zagueiro teria ganhado um pênalti para o Liverpool, mas o neerlandês estava em posição de impedimento. Como resultado do lance, Van Dijk teve que deixar o campo, substituído por Joe Gomez.

Sem a segurança do zagueiro pelo alto, o Liverpool logo sofreu o empate em jogada aérea. Aos 19 minutos, James Rodríguez cobrou escanteio, e Michael Keane subiu mais alto que os adversários para cabecear a fazer 1 a 1.

Seis minutos mais tarde, o Liverpool teve uma boa oportunidade de retomar a liderança no placar. Em falta cobrada em dois tempos, Alexander-Arnold bateu com curva, por cima da barreira, forçando Pickford a grande defesa.

Aos 31 minutos, foi a vez do Everton sofrer uma baixa no setor defensivo. Séamus Coleman sentiu uma lesão muscular e teve que deixar o gramado, dando lugar ao estreante Ben Godfrey, deslocado da sua posição de costume, como zagueiro, para a lateral direita.

Repetindo o lance do gol que abriu o placar, aos 34 minutos o Liverpool subiu pela esquerda com Robertson, que tocou rasteiro para o meio da área, encontrando Mané. Desta vez, o senegalês não pegou como queria na bola e mandou pela linha de fundo, desperdiçando grande chance.

Ao longo da partida, James Rodríguez foi o principal recurso criativo do Everton, e em um de seus principais lances, o colombiano colocou Richarlison em condições de marcar o gol da virada. Aos 14 do segundo tempo, o camisa 19 cruzou, e o brasileiro chegou no segundo poste cabeceando, mas acabou por acertar a trave de Adrián.

Seis minutos depois, conduzindo a bola com tranquilidade pelo meio, James aproveitou o espaço que lhe foi oferecido e tentou o chute de média distância, parando em boa defesa do goleiro do Liverpool, que espalmou para o lado.

Embora encontrasse suas oportunidades, o Everton viu o Liverpool retomar a frente no placar. Aos 27 minutos da segunda etapa, Henderson cruzou, Mina afastou mal, e Salah pegou a sobra dentro da área, batendo de primeira para fazer o 2 a 1.

Quatro minutos mais tarde, os Reds quase ampliam o placar. Em escanteio levantado na área, Matip subiu bem e cabeceou com força, mas parou em defesa espetacular de Pickford, de puro reflexo. Logo o Everton seria recompensado por aguentar a breve pressão da metade do segundo tempo.

Aos 36 minutos, James lançou Digne pela esquerda, o lateral cruzou alto, e Calvert-Lewin voou para cabecear no canto oposto e empatar para os Toffees. Foi o 10º gol do centroavante inglês em sete partidas pelo Everton na temporada.

Quando tudo parecia positivo na atuação do time de Carlo Ancelotti, Richarlison acertou um carrinho de força excessiva em Thiago e levou o cartão vermelho direto. Agora, ficará de fora dos próximos três jogos dos Toffees na Premier League.

Os minutos finais reservaram grande emoção ao jogo. Aos 47 minutos do segundo tempo, Thiago encontrou Mané sozinho dentro da área, pela esquerda, com uma visão incrível e um passe na medida. O senegalês cruzou rasteiro para Henderson, que bateu forte para o gol. Pickford se atirou bem na bola para fazer a defesa, mas a força do chute fez a bola tomar uma trajetória incomum pelo alto e entrar.

Os Reds já comemoravam a suada vitória por 3 a 2, mas a revisão no VAR revelou posição de impedimento de Mané por pouquíssimos centímetros, invalidando o tento da equipe de Jürgen Klopp.

No lance final do jogo, o Everton teve uma bola parada para levantar na área e assustou o Liverpool, mas Adrián ficou com a bola e confirmou o placar em 2 a 2.

Com o resultado, o Everton garante a manutenção da liderança da Premier League até o fim desta quinta rodada, com 13 pontos de 15 possíveis. O Liverpool, por sua vez, ocupa momentaneamente a segunda colocação, com dez pontos, mas tem dois jogos a mais que o terceiro colocado Aston Villa, de campanha 100% até agora, e um a mais que Leicester e Arsenal, cada um com nove pontos após quatro jogos.

Enquanto os Reds claramente ainda não estão em sua melhor forma possível, os Toffees crescem a cada rodada, e este foi um grande teste que pode ser considerado bem-sucedido aos comandados de Ancelotti. Embora ainda seja cedo para previsões para a temporada, o Everton parece enfim ter encontrado o caminho para dar o esperado salto de qualidade depois de tanto investimento ao longo dos últimos anos.

Classements proposés par SofaScore LiveScore