O Basel se acostumou a fazer ótimas campanhas na Liga dos Campeões ao longo da última década. Dentre os clubes de países menores, os suíços se colocaram entre os melhores várias vezes. Desde 2008/09, foram sete aparições na fase de grupos, avançando aos mata-matas em três oportunidades, além da caminhada até as semifinais da Liga Europa em 2012/13. Na temporada passada, o clube da Basileia surpreendeu, ao deixar o Benfica pelo caminho, antes de vencer o jogo de volta contra o Manchester City nas oitavas, apesar da eliminação causada pela goleada sofrida na ida. Meses depois, porém, a equipe encara o seu maior revés recente no torneio continental. Terminou eliminada pelo PAOK, com uma derrota por 3 a 0 em pleno St. Jakob-Park.

A boa campanha na Champions passada havia sido um ponto fora da curva na temporada do Basel. O clube começou mal o Campeonato Suíço e não conseguiu alcançar o Young Boys, interrompendo sua série de oito títulos nacionais consecutivos. Além disso, também perdeu para os aurinegros nas semifinais da Copa da Suíça. A diretoria até segurou o técnico Raphaël Wicky, mas a sequência de três derrotas na pré-temporada, incluindo aí goleadas de Aarau e Feyenoord, aumentava a pressão. Na estreia da liga nacional, novo revés, perdendo em casa para o St. Gallen. Já a gota d’água aconteceu na ida da segunda fase preliminar da Champions. O PAOK venceu por 2 a 1, abrindo boa vantagem no duelo.

Na tentativa de salvar a lavoura na Liga dos Campeões, Wicky foi demitido. O velho ídolo Alexander Frei assumiu a bronca e não conseguiu fazer milagre. No final de semana, apenas um empate contra o Neuchâtel Xamax. Já nesta quarta, no reencontro com o PAOK, os gregos venceram com facilidade. Fernando Varela abriu o placar no primeiro tempo, enquanto Aleksandr Prijovic e Omar El Kaddouri ampliaram aos gregos ainda no início da segunda etapa, fechando a contagem em 3 a 0. Melancolia diante das arquibancadas vazias na Basileia.

Por mais que seja um bom formador de talentos, as perdas atrapalharam o Basel nos últimos anos. Nesta temporada, saíram alguns destaques, como Mohamed Elyounoussi, Tomas Vaclik e Michael Lang. O impacto não foi bem absorvido e, ainda que tenha alguns bons nomes (como Dimitri Oberlin, Geoffroy Serey Dié e Valentin Stocker), a equipe sente as consequências. Os suíços ainda terão uma nova chance nas preliminares da Liga Europa, mas, neste momento, o objetivo parece mesmo retomar o rumo e evitar consequências piores no Campeonato Suíço.

Nas demais partidas, a maior surpresa foi o MOL Vidi (antigo Videoton), que eliminou o Ludogorets Razgrad. Os campeões húngaros venceram o time de Paulo Autuori por 1 a 0, suficiente após o empate sem gols na Bulgária. Outra zebra aconteceu na terça. Apesar da derrota por 1 a 0 em casa, o Spartak Trnava eliminou o Legia Varsóvia, por ter vencido por 2 a 0 a ida na Polônia.

Entre os grandes, o Ajax foi quem teve a maior tranquilidade. Superou o Sturm Graz por 2 a 0 em Amsterdã e venceu de novo na Áustria por 3 a 1. Klaas-Jan Huntelaar balançou as redes duas vezes, enquanto o novato Dusan Tadic também marcou. Os anfitriões só descontaram no fim, graças a uma pixotada do goleiro André Onana. Em um dos duelos mais pesados, o Celtic segurou o empate com o Rosenborg fora de casa e avançou. Já o Estrela Vermelha espantou a zebra Suduva, conquistando nova vitória, agora na Lituânia. E o Malmö, mesmo tomando um gol de bicicleta do Cluj, buscou o empate para avançar. Nas demais partidas, também se classificaram Astana, Qarabag, Dinamo Zagreb, Bate Borisov e Shkëndija.

Abaixo, a lista de jogos da terceira fase preliminar:

Rota dos campeões

Celtic (ESC) v AEK Atenas (GRE)
Red Bull Salzburg (AUT) v Shkëndija (MAC)
Estrela Vermelha (SER) v Spartak Trnava (ESQ)
Qarabag (AZE) v BATE Borisov (BLR)
Astana (CAZ) v Dinamo Zagreb (CRO)
Malmö (SUE) v MOL Vidi (HUN)

Rota da liga

Standard Liège (BEL) v Ajax (HOL)
Benfica (POR) v Fenerbahçe (TUR)
Slavia Praga (TCH) v Dynamo Kiev (UCR)
PAOK (GRE) v Spartak Moscou (RUS)