A Uefa enviou, nesta quinta-feira (2), uma carta conjunta, assinada também pela Associação de Clubes Europeus e pela European Leagues, a cada uma das 55 federações nacionais europeias, pedindo para que tenham paciência e que as competições sejam disputadas no gramado até o fim. Tentando transmitir segurança às entidades, falou até mesmo de planos que estão sendo desenhados e que permitiriam encerrar a temporada nos meses de julho e agosto, com os torneios continentais sendo disputados apenas depois do encerramento das ligas nacionais. Por fim, deixou uma ameaça aberta aos clubes de não aceitá-los em suas competições na próxima temporada caso não concluam a atual campanha.

A mensagem foi enviada horas depois de o conselho administrativo da Pro League, responsável pelo Campeonato Belga, recomendar o encerramento prematuro da competição e a coroação do atual líder, o Club Brugge, como campeão.

Em seu texto às federações, a Uefa afirmou que “se reserva o direito de não admitir clubes nas competições da Uefa em 2020/21, de acordo com os regulamentos aplicáveis”, uma ameaça clara de exclusão da Champions League e da Liga Europa a equipes de países que não terminarem suas temporadas.

A carta foi inicialmente revelada pela Sky Sports, que teve acesso ao documento enviado às federações. Em uma nota publicada em seu site, o veículo divulga alguns trechos do texto, que demonstra claramente a preocupação da Uefa depois do desenrolar dos planos na Bélgica.

“É de extrema importância que mesmo um evento ‘disruptivo’ como esta epidemia não evite que nossas competições sejam decidas no campo, de acordo com as regras, e que todos os títulos esportivos sejam entregues com base em resultados.

Como líderes responsáveis de nosso esporte, isso é o que devemos garantir, até que exista a última possibilidade e enquanto soluções de planejamento, operacionais e regulatórias estiverem disponíveis.

Estamos confiantes de que o futebol poderá recomeçar nos próximos meses – com condições que serão ditadas pelas autoridades públicas – e acreditamos que qualquer decisão de abandonar competições domésticas, a essa altura, é prematura e injustificada.”

Grupos de trabalho formados pela Uefa têm tentado encontrar soluções para o calendário, trabalhando com diferentes cenários. Segundo a carta, esses grupos estão em contato diário “para garantir que o objetivo principal de levar todas as competições ao seu fim natural seja atingido, (…) e planos concretos estão sendo projetados”.

“O trabalho está agora focando cenários abrangendo os meses de julho e agosto, incluindo a possibilidade de que as competições da Uefa reiniciem depois da finalização das ligas domésticas. É estritamente necessária uma gestão conjunta dos calendários, uma vez que a conclusão da atual temporada deve ser coordenada com o início da nova temporada, que pode ser parcialmente afetada devido ao alargamento.”

A carta, assinada por Aleksander Ceferin, Andrea Agnelli e Lars-Christer Olsson, respectivamente presidentes de Uefa, Associação de Clubes Europeus e European Leagues, diz ainda que o grupo de trabalho está empenhado em apresentar suas soluções o mais rápido possível, “idealmente até meados de maio”.

“Parar as competições deve realmente ser o último recurso, depois de concluir que nenhuma alternativa de calendário permitiria concluir a temporada”, encerra o pedido.

Há pouco mais de duas semanas, ligas, clubes e a Uefa haviam estipulado 30 de junho como data limite para determinar os campeões da temporada europeia. Porém, com esta nova movimentação da federação continental, este prazo poderá sofrer alteração.