Itália e Estados Unidos fizeram um amistoso para testes nesta terça-feira, em Genk. Enquanto o US Team recheia a equipe de garotos, com média de idade abaixo dos 23 anos e capitaneados por Christian Pulisic, a Azzurra também abre as portas aos novatos. E um deles seria decisivo para a vitória por 1 a 0 dos italianos, conquistada apenas no apagar das luzes. Roberto Mancini bem que relutou a escalar Matteo Politano, mas o ponta justificou a chance. Em ótima fase na Internazionale, o camisa 20 participou de toda a construção da jogada para definir aos 49 do segundo tempo.

Poucos eram os medalhões no 11 inicial da Itália, como Leonardo Bonucci e Marco Verratti. O time era composto por vários atletas que buscam se firmar, com Federico Chiesa, Kevin Lasagna e Domenico Berardi formando a trinca ofensiva. Controlando o jogo, os italianos não conseguiram abrir o placar no primeiro tempo, mesmo criando um caminhão de oportunidades. Já na segunda etapa, Mancini começou a fazer suas trocas, promovendo as entradas de Vincenzo Grifo, Moise Kean e Roberto Gagliardini. Politano só ganhou sua vez aos 42. E quando o empate parecia consumado, o interista decidiu. Diante da troca de passes, pegando a defesa americana aberta, se infiltrou na área para concluir às redes no quarto minuto dos acréscimos.

Na saída de campo, Politano falou sobre sua aparição especial: “É uma noite inesquecível, estou muito feliz pelo gol e pela vitória. Dominamos o jogo, mas sofremos para abrir o placar e felizmente conseguimos no final. Tivemos um pouco de azar, mas precisamos continuar com esse estilo de futebol, porque estamos criando muitas chances e eventualmente marcaremos mais. Cabe a mim estar pronto quando for chamado, para entregar o necessário”.

Já Marco Verratti fez um elogio contundente ao trabalho de Mancini: “Se olharmos apenas o resultado, não crescemos muito. Mas pela atuação, o importante foi criar muitas oportunidades. Estamos no caminho certo. Nunca estive tão relaxado e feliz jogando pela seleção. Acho que estamos mostrando o tipo certo de futebol com Mancini. Estamos indo bem. É um estilo tático, mas agradável e adoramos fazer isso”.

Se os resultados da Itália não são exatamente extraordinários, com excesso de empates, os sinais são positivos ao que se pretende. A renovação realmente acontece e o time vai encontrando sua maneira de jogar. Contra os Estados Unidos, em estágio ainda mais radical de transformação, a obrigação da vitória azzurra era imensa. O triunfo veio e deixou em evidência Politano, um dos nomes que podem ser úteis neste novo momento.