A Juventus contou com uma atuação bastante segura em casa para vencer o Bayer Leverkusen por 3 a 0 no Allianz Stadium, em Turim. O time contou com uma boa atuação de Gonzalo Higuaín, que agora veste a camisa 21 e que passava longe de ser uma certeza no time quando a temporada começou. Ele participou de dois gols dos três marcados pela Velha Senhora. Foi um dos destaques de um time que ainda tenta achar o seu estilo de jogo, mas conta com um elenco talentoso – incluindo Cristiano Ronaldo, participativo especialmente no segundo tempo e que deixou sua marca no final.

Depois de passar seis meses fracos no Milan e outros seis meses sem brilho no Chelsea (neste último, já com Maurizio Sarri), Higuaín era visto como moeda de troca. Só que ele ficou, foi inscrito e deixou Mario Manduzkic de fora, com ótimas atuações na pré-temporada. Provou o seu valor diante do torcedor nesta terça-feira, como tem feito desde os primeiros jogos da temporada, com uma boa atuação e entendimento com Cristiano Ronaldo.

O técnico Maurizio Sarri escalou a Juventus deixando dois jogadores que vinham atuando no banco: Paulo Dybala e Aaron Ramsey. Entre as novidades, Juan Cuadrado na lateral direita, substituindo Danilo, machucado. No ataque, Federico Bernardeschi ganhou a concorrência para sair como titular ao lado de Gonzalo Higuaín e Cristiano Ronaldo.

O Leverkusen, comandado por Peter Bosz, se armou em um 4-4-2, com duas linhas de quatro e dois atacantes com características de goleador no ataque, Lucas Alario e Kevin Volland, capitão do time. Lars Bender, inicialmente escalado, ficou fora do time por sentir lesão no aquecimento. Karim Bellarabi e Leon Bailey também estavam fora. Mitchell Weiser substituiu Lars Bender na lateral direita.

Aos 17 minutos, a Juventus chegou ao primeiro gol em uma falha da zaga do Leverkusen. Cuadrado, atuando como lateral, fez um passe longo buscando o centroavante Gonzalo Higuaín. O zagueiro Jonathan Tah cortou mal, para cima, e a bola sobrou para o argentino dominar e chutar, da entrada da área, para marcar 1 a 0 em Turim.

Os times de Sarri costumam ser conhecidos por manutenção de posse de bola, mas não foi o que aconteceu. Quem tinha a bola era o Leverkusen, que fechou o primeiro tempo com 63% contra 37% da Juventus. Em chutes, porém, o time da casa foi melhor: foram três, com dois deles no alvo – um foi o gol de Higuaín. O Leverkusen chutou duas vezes, nenhum deles no alvo.

Depois de um primeiro tempo sem grande brilho, Cristiano Ronaldo passou a aparecer mais no segundo e, aos 11 minutos do segundo tempo, ele teve uma grande chance, depois de algumas tentativas bloqueada. Ele recebeu pelo meio, finalizou forte, rasteiro, e o goleiro Lukas Hradecky defendeu.

A Juventus alcançaria o segundo gol aos 16 minutos. Cristiano Ronaldo fez a jogada pela esquerda, tocou para Higuaín, que foi à linha de fundo e cruzou, rasteiro, para o meio da área. Bernardeschi chegou para finalizar e marcar, aumentando o placar para 2 a 0 em Turim.

O brasileiro Paulinho entrou no time do Leverkusen no lugar de Lucas Alario, que não conseguiu fazer um grande jogo. Ele entrou em campo aos 33 minutos e teve uma das melhores chances do time alemão na partida, recebendo e tocando por cobertura, mas a bola acabou indo por cima do gol.

Já aos 43 minutos, Paulo Dybala, que tinha entrada minutos antes no lugar de Higuaín, deu passe para Cristiano Ronaldo, em profundidade, receber e finalizar cruzado, embaixo das pernas do goleiro: 3 a 0 para o campeão italiano em Turim.

A vitória é importante na classificação, já que a Juventus sobe à primeira posição do Grupo D, mas também na confiança. A Velha Senhora terá um difícil duelo com a Internazionale no domingo, pela Serie A, com a rival sendo a atual líder.

Standings provided by Sofascore LiveScore