Em 2019, Agüero promete voltar ao clube de coração e ao estádio que ajudou a pagar

Em entrevista a revista francesa, o craque do Manchester City disse que quer voltar a Avellaneda ao fim de seu contrato com o City

Sergio Agüero defendeu o time principal do Independiente durante quatro temporadas. A estreia precoce aconteceu quando o prodígio tinha apenas 15 anos, se tornando o mais jovem a entrar em campo pelo Campeonato Argentino. Não teve tempo de conquistar títulos, mas ganhou a idolatria dos rojos. Seus gols aos montes o levaram ao estrelado, tornando-se sensação também nas seleções argentinas de base. Diante da preciosidade que tinha em mãos, o clube de Avellaneda não pôde recusar a oferta de € 23 milhões feita pelo Atlético de Madrid. Contudo, o garoto de 18 anos deixou como legado a transformação do Estádio Libertadores de América, reformado muito graças à fortuna que o craque vendeu.

VEJA TAMBÉM: Agüero quis ajudar o Independiente e foi ignorado

Na Europa, Agüero conquistou a adoração das torcidas de Atleti e do Manchester City. Mas não se esqueceu do passado. Assim como são comuns os exemplos de craques que voltam ao país para encerrar suas carreiras, o artilheiro pretende fazer o mesmo. E já tem data estipulada. O seu contrato com os Citizens vai até 2019, mas não deve ser renovado. O craque quer mesmo seguir, sem custos, ao Independiente. Aos 31 anos, terá ainda algum tempo para jogar em alto nível e conquistar títulos com os rojos.

“Eu digo todos os dias que vou retornar ao Independiente e farei isso. Quando meu contrato terminar, em 2019, eu voltarei. Eu não quero fazer isso em uma idade muito avançada. Se tudo der certo, aos 31 anos eu volto para o clube do meu coração”, declarou Agüero, em entrevista à revista francesa So Foot.

VEJA TAMBÉM: Bou decide clássico em Avellaneda e diz: “Queria sentir como se cala o estádio com um gol”

Durante os últimos anos, Agüero chegou a ser especulado em outros clubes europeus. Nada o impede de se transferir nos próximos anos. Contudo, a ideia de vestir a camisa do Independiente ainda em boa forma lhe parece muito clara. Para quem já se ofereceu até mesmo para pagar contratações, há dois anos, quando o time estava na segunda divisão, o retorno é plenamente compreensível. De certa maneira, uma resposta ao que Diego Milito fez com o Racing recentemente. O centroavante voltou ao clube em que foi formado e levou La Academia novamente ao topo do campeonato nacional e à Libertadores. Kun seria uma resposta em alto nível para os rivais de Avellaneda.

O fato de ter ajudado a renovar o estádio do Independiente deve pesar bastante a Agüero. A gratidão da torcida permanece. E, além da vibração, merece ser correspondida com mais gols e, se possível, com taças. Histórias de ídolos que honram a camisa que amam sempre são legais, e mais quando a separação aconteceu tão cedo, deixando mesmo assim marcas profundas. Será ainda melhor se Agüero tiver como adversários no país Messi, Di María, Higuaín e outros de sua geração. O futebol argentino agradeceria.