A noite de segunda-feira foi de festa para o New York Cosmos, um dos clubes que mais ficaram conhecidos no mundo. O time foi bicampeão da NASL, segunda liga de futebol mais importante dos Estados Unidos, e que também era a liga do país em 1981. Naquela vez, porém, o time perdeu na disputa dos shootouts. Em 2016, veio a vitória nos pênaltis sobre o Indy Eleven, outro time que tem mostrado força nos últimos anos na liga.

LEIA TAMBÉM: Em liga secundária dos EUA, Joe Cole está artilheiro e fez esse golaço

Em 1981, a NASL era a principal liga dos Estados Unidos. Ainda vivia da fama que ganhou nos anos 1970l quando levou estrelas do futebol mundial para lá, sendo Pelé a maior delas. No ano de 1981, o Cosmos, grande time a ser batido na época, chegou à decisão com o Chicago Sting.

Depois de um 0 a 0, os dois times decidiram a disputa nos shootouts, essa disputa curiosa que tinha essa espécie de pênaltis em movimento. O Chicago levou o título, mas o Cosmos, campeão em 1972, 1977, 1978 e 1980, ainda levaria o título no ano seguinte, 1982, antes do seu fim – e o fim da NASL – em 1985.

Neste ano de 2016, a situação é parecida em alguns aspectos. O New York Cosmos é o time a ser batido na NASL – com a diferença que a liga é muito mais modesta do que aquela que existiu entre 1968 e 1984. Refundado em 2010, o Cosmos voltou à NASL – refundada em 2009 – e se tornou uma máquina de títulos. Venceu em 2013, 2015 e torna-se o primeiro a ser bicampeão consecutivo na nova era da liga. Nos dois títulos anteriores, o Cosmos contava com estrelas como Marcos Senna, brasileiro naturalizado espanhol, e Raúl González, lenda do Real Madrid.

Só que a disputa foi muito dura para os nova-iorquinos. Foram 120 minutos de futebol, sem gols, no estádio Belson, com 2.150 pessoas. O estádio fica no bairro do Queens, no campus da St. John’s University. A torcida do Cosmos foi quem mostrou a sua cara e fez bastante pressão na disputa de pênaltis. Arrieta, Moffat e Ayoze fizeram os gols em suas cobranças pelo Cosmos. Peterson marcou, mas Zayed e Busch perderam. Vukovic marcou e deixou tudo nos pés de Richter. Ele cobrou e foi para a galera comemorar a taça.

A NASL, porém, segue como a segunda liga dos Estados Unidos e o Cosmos não tem nenhuma chance de, em um futuro próximo, migrar para a MLS. O Cosmos deve mesmo ficar mais alguns anos brigando na NASL – e provavelmente sendo o time a ser batido nela.

Assim como a NASL dos anos 1970 e 1980, a MLS começou com a disputa de shootout, como o que decidiu o campeonato de 1981, mostrado acima. Um tempo depois, porém, as ligas americanas se adequaram às regras da Fifa e passaram a usar pênaltis comuns. Há quem tenha nostalgia por esse tipo de pênalti, digamos, em movimento.