Os jogadores e comissão técnica do Leeds United decidiram adiar o recebimento dos seus salários para que o clube possa pagar todos os outros funcionários durante a pandemia de coronavírus, que paralisou o futebol e o mundo todo. O líder da Championship, a segunda divisão inglesa, tomou a atitude para que todos os funcionários que não fazem parte do time principal possam receber normalmente seus salários.

“O Leeds pode confirmar que os jogadores, comissão técnica e gestão voluntariamente irão adiar o recebimento dos seus salários neste futuro próximo”, diz um comunicado do clube. “Isso garante que todos os funcionários que não são diretamente ligados ao futebol em Elland Road e Thorp Arch [centro de treinamento do clube] possam receber integralmente e o negócio possa ser mantido durante esses tempos incertos”.

“A propagação do vírus da COVID-19 vista no Reino Unido e em muitos outros países ao redor do mundo em um estado de ‘bloqueio’ e enquanto há um comprometimento compartilhado de terminar a temporada, não há planos concretos para uma data de retorno”, diz ainda o comunicado.

“A falta de jogos, o cancelamento de eventos, impacto nas receitas e fechamento do mercado que financia o futebol irá custar ao clube vários milhões de libras por mês. Depois de conversar com o executivo chefe Angus Kinnear, o diretor de futebol Victor Orta e diversos jogadores do time principal, a decisão foi tomada pelo elenco de adiar parte dos seus próximos salários para garantir que o clube continue a pagar todos os 272 funcionários em tempo integral e a maioria dos funcionários casuais pelos próximos meses”, explica ainda a nota.

O Birmingham também pediu aos seus jogadores para terem adiamentos dos pagamentos dos salários. Foi pedido que os membros do elenco que ganham mais de £ 6 mil por semana no clube tenham um corte de 50% dos salários pelos próximos quatro meses. O capitão do time, Harlee Dean, confirmou ao TalkSport que concordou com a proposta.

“Algumas pessoas podem ajudar e algumas pessoas não podem ajudar, é apenas a natureza dos animais”, disse. “Pessoalmente para mim eu vou ajudar porque eu posso e eu sinto que devo. Para mim, não fazer isso e alguém no clube que trabalha no administrativo ou algo assim, se eles forem demitidos para que eu possa receber, eu não fico realmente bem com isso”, continuou o jogador. “Eu espero dar ao clube um pouco de estabilidade pelos próximos meses, enquanto nós estamos em tempos incertos, com o coronavírus e os jogos que estão faltando”.

Clubes como o Borussia Mönchengladbach, Borussia Dortmund, Bayern de Munique e Schalke 04 tiveram medidas similares, com jogadores aceitando adiar o recebimento de salários para manter o fluxo de caixa.