Ele (quase) não toma gol

A campanha de recuperação que faz o Sion na tentativa de livrar-se do playoff do rebaixamento no Campeonato Suíço passa – e muito – pelas mãos do goleiro Andris Vanins. Principal nome da equipe, ele comanda a defesa menos vazada do campeonato e é o maior responsável por dar esperanças aos torcedores de que o time poderá seguir na Super League na próxima temporada.

Nas 27 rodadas disputadas até agora pelo Suíção 2011/12, o Sion tomou apenas 20 gols, o que representa média de 0,7 gol por jogo. A defesa é mais eficiente até que a do Basel, melhor time suíço da atualidade, que foi vazada 23 vezes no campeonato até agora.

O Sion, vale lembrar, luta para não ir ao playoff contra o vice-campeão da Challenge League (segunda divisão) porque perdeu 36 pontos no meio do campeonato. O clube foi punido pela Justiça Desportiva por ter desafiado Fifa e Uefa e ingressado na Justiça Comum contra uma decisão da entidade europeia, que o desclassificou da Liga Europa por ter escalado jogadores irregulares. Se não aplicasse a punição, a Federação Suíça corria o risco de ser suspensa pela Fifa.

Desde então, o objetivo da equipe é fugir do rebaixamento. A tarefa ficou um pouco mais simples quando o Neuchâtel Xamax decretou falência e a Federação informou que, por isso, ninguém cairá direto para a segunda divisão. Mas o time que ficar em nono lugar terá de jogar a repescagem (Sion e Lausanne são os candidatos). Pela campanha que faz dentro de campo, não fosse a punição, o time comandado pelo técnico Laurent Roussey estaria hoje na vice-liderança da competição, com 48 pontos, aos invés dos 12 atuais.

489 minutos de invencibilidade

Vanins, de 31 anos de idade e 1,85 metro de altura, está no Sion desde 2009 e vem se destacando desde então. Foi eleito o melhor goleiro da Super League e o melhor jogador do Sion nas temporadas 2009/10 e 2010/11. Natural da Letônia, ele é também o titular na seleção de seu país.

O gol de pênalti que sofreu de Chikhaoui, aos 33 minutos do primeiro tempo, na vitória de virada por 2 a 1 sobre o Zürich, encerrou uma série invicta de 489 minutos sem que Vanins tomasse gols pelo Campeonato Suíço. O último havia acontecido em 26 de fevereiro, aos 39 do segundo tempo, na derrota para o Servette por 1 a 0. Desde então, ele já deixara sua meta intocável em cinco partidas.

A boa fase de Vanins, assim como a da equipe como um todo, vem animando a torcida do Sion. No sábado, 10,5 mil pessoas foram ao estádio para ver a vitória sobre o Zürich, que marcou o sexto jogo invicto do time (foram cinco vitórias e um empate no período).

Assim, o clube do polêmico Christian Constantin vai construindo uma incrível campanha de recuperação e pondo pressão para cima do Lausanne. Com sete jogos a disputar (um deles contra o adversário direto) e cinco pontos de diferença para tirar, a missão, embora difícil, não é nada impossível. E há, ainda, a disputa da Copa da Suíça, competição na qual o Sion já está na semifinal.

Ironia do destino

O mais curioso dessa história é que Andris Vanins foi contratado para substituir o goleiro egípcio Essam El-Hadary, que deixou o Sion em 2009. Foi pela acusação de aliciamento justamente de El-Hadary que o clube ficou impedido de inscrever jogadores, ordem que desrespeitou, o que causou-lhe a perda dos 36 pontos.

Agora, pode estar literalmente nas mãos de Vanins a salvação do time na temporada. De desespero total, a torcida do Sion está próxima a ter momentos de festa com a fuga do rebaixamento (mesmo que tenha de jogar o playoff, o time entra como favorito na disputa) e o título da Copa da Suíça.

CURTAS

ÁUSTRIA

– Os sócios do Rapid Viena elegeram a música “Seven Nation Army”, do White Stripes, o novo hit para ser tocado quando o time marca gols no estádio Hanappi. A votação online quase teve a concorrência de “Ai se eu te pego”, que foi desclassificada por já ser utilizada pelo Red Bull Salzburg.

– Mais um dérbi de Viena, o 301º da história e o quarto e último desta temporada será realizado no próximo domingo, dessa vez na Generali Arana, com mando do Austria Viena.

– O jogo promete, pois além da tensão natural, ambos os times precisam muito da vitória para seguir brigando pelo título.

– Red Bull (49 pontos) e Rapid (48) venceram e seguem nas duas primeiras posições da Bundesliga. O Austria Viena bateu o Ried por 1 a 0 fora de casa e o ultrapassou, chegando agora ao terceiro lugar, com 44.

– Na Erste Liga, o St. Andrä, que derrotou o St. Pölten por 2 a 0, lidera com três pontos de vantagem sobre o Altach, que perdeu para o First Vienna pelo mesmo placar.

– Um oficial de polícia ficou ferido com fogos de artifício lançados pela torcida do Wacker Innsbruck, na partida em que a equipe perdeu para o Red Bull por 2 a 0.

SUÍÇA

– Ao empatar por 1 a 1 com o Luzern, o Basel interrompeu uma série de seis vitórias seguidas no Campeonato Suíço. Mas o time segue com ampla vantagem sobre o próprio adversário, que é o vice-líder. São 17 pontos, restando sete rodadas para o fim da competição.

– Situação parecida vive o St. Gallen, que fez 2 a 1 no Etoile Carouge e abriu 14 de vantagem sobre o Bellinzona, na segunda divisão.