Um minuto de caos no domingo de League One, a terceira divisão inglesa. O Portsmouth venceu o Oxford United por 3 a 0 jogando em casa e se aproximou da zona de playoff, mas isso é só o resultado final. O que mais chamou a atenção no jogo foi um lance no segundo tempo que poderia ter mudado o jogo.

LEIA TAMBÉM: Wilshere capitão do Arsenal? Wenger diz que confia no jogador para isso

Aos 15 minutos do segundo tempo, o Portsmouth vencia por 1 a 0. Matthew Clarke fez falta em Robert Dickie na área do Portsmouth e o árbitro marcou pênalti. Uma chance para o Oxford United empatar o jogo e, claro, colocar fogo na partida. Só que tudo deu errado.

Alex Mowatt cobrou o pênalti na trave e Nathan Thompson, do Portsmouth, foi lá gritar no ouvido do jogador do Oxford. A reação de Mowatt foi imediata: deu um tapa na cara do jogador do Pompey, antes de se envolver em uma confusão com Matt Clurke. Claro que o tempo fechou, ficou um empurra-empurra, entrou em campo a turma do deixa disso.

O árbitro foi calmo, ouviu os assistentes e tranquilamente Charles Breakspear deu amarelo para Luke McGee pela confusão e depois expulsou Mowatt. Tudo muito certo, exceto pelo fato do árbitro não ter dado cartão também a Nathan Thompson, que erroneamente foi lá provocar o jogador que perdeu o pênalti. Merecia, sim, o cartão amarelo, e ele já tinha cartão naquele momento. Ou seja, seria expulso. Não foi. O jogo continuou e o placar de 1 a 0 Portsmouth virou 3 a 0. Que confusão!