Com o fim das 17 rodadas da primeira fase do Apertura 2013, a Liga MX já tem definidos os seus oito classificados, bem como os duelos e futuros cruzamentos da Liguilla que coroarão o campeão nacional do futebol azteca na segunda metade do ano. Vale dizer que apenas metade dos últimos dez campeões mexicanos permanecem na disputa, mas campeão e vice do Clausura (América e Cruz Azul) podem novamente se encontrar na final. Vamos à prévia dos playoffs e o que esperar de cada um dos confrontos:

(1º) América x Tigres UANL (8º)

Destaques: Raúl Jiménez / Lucas Lobos

Confrontos em Liguillas: 1 vitória do Tigres (A-05)

Se os felinos oscilaram em boa parte da competição, as águias tiveram um crescimento constante, terminando a fase inicial com a melhor campanha e a defesa mais sólida do torneio. Ainda que o conjunto de Coapa seja o favorito para conquistar o bicampeonato nacional, esse não é o confronto menos equilibrado da Liguilla. O treinador brasileiro “Tuca Ferretti” sabe que tem em mãos muito mais do que tem feito render e parte do elenco está próximo de seus últimos passos na carreira, com cada vez menos chances de brilhar. Do outro lado, Galindo devolverá o bastão para Herrera e o entrosamento, a estabilidade e a excelente fase vivida tem tudo para trazer um novo período dourado aos capitalinos, que para isso precisarão superar um dos adversários mais duros dos que restaram na disputa.

(2º) Santos x Querétaro (7º)

Destaques: Oribe Peralta / Esteban Paredes

Confrontos em Liguillas: nunca se enfrentaram

Esse, sim, é um dos confrontos mais desequilibrados das quartas de final. Não que os Gallos Blancos não tenham entrado numa crescente inimaginável para um clube que só salvou-se da queda no tapetão na última temporada, mas os Albiaules ainda carecem de experiência e alguma constância para lidar com um adversário já acostumado às fases decisivas da Liga MX. Os comandados de Pedro Caixinha ganharam entrosamento no decorrer do Apertura e devem obter a classificação sem grandes dificuldades, mas precisarão colocar sua interessante mescla de jogadores experientes e jovens promessas à prova à partir de então, em busca de sua segunda conquista nacional na década.

(3º) León x Morelia (6º)

Destaques: Luis Montes / Aldo Leao

Confrontos em Liguillas: nunca se enfrentaram

Um confronto equilibrado, reunindo as duas únicas equipes a permanecerem durante todas as 17 rodadas na zona de classificação do mata-mata. De um lado, ninguém duvida da capacidade dos Panzas Verdes. Com uma ascensão meteórica da Liga de Ascenso até a Liga MX, os esmeraldas vêm somando campanhas consistentes na divisão principal. O objetivo agora é alcançar a taça, repetindo o sucesso do Tijuana. Para isso, o projeto é consistente e estável. O uruguaio Matosas permanece no comando do grupo, que contou com adições pontuais de nomes experientes para evitar panes de um grupo jovem e com potencial, como as vistas nos momentos decisivos dos playoffs no Apertura 2012. O adversário, todavia, é o teste perfeito para verificar o sucesso dessa aposta. O clube de Morelos é experiente, acostumado às Liguillas, mas quase sempre fica pelo caminho. Para pôr fim à síndrome, os purépechas apostam no experiente trio Leao-Cárdenas-Mancilla.

(4º) Cruz Azul x Toluca (5º)

Destaques: Christián Giménez / Antonio Naelson “Sinha”

Confrontos em Liguillas: 3 vitórias do Toluca (A-05, C-06 e A-08) e 1 vitória do Cruz Azul (1977-78)

Dono do ataque mais poderoso da primeira fase, o Toluca não encontra dificuldades para superar adversários inferiores. O problema é que, a partir de agora, os rivais terão uma capacidade muito maior, transformando-se em páreos mais duros de serem batidos. O rápido entrosamento adquirido entre Sinha e o recém-contratado paraguaio Velázquez deve facilitar a vida dos Diablos, que terão pela frente um Cruz Azul disposto a compensar a dramática perda do título no Clausura. Com um elenco experiente, mas pressionado pela extensa de fila de mais de uma década e meia sem o título nacional, os Cementeros revêm logo de cara um de seus adversários mais indigestos, cujo retrospecto é pouco animador: nos últimos três encontros na Liguilla, três classificações do Morelia.

Com os dois pés no Brasil
Rafa Márquez marcou um dos gols do México (AP Photo/Eduardo Verdugo)
Rafa Márquez marcou um dos gols do México (AP Photo/Eduardo Verdugo)

Após ter ficado muito próxima de ser eliminada da Copa de 2014 na derradeira rodada das Eliminatórias da Concacaf, era bem provável que uma hora ou outra a seleção azteca finalmente deslanchasse para garantir a vaga no Mundial, muito graças ao baixo nível técnico dos adversários enfrentados. E o momento veio quase no limiar das chances disponíveis à Tricolor.

Contra a Nova Zelândia, a seleção mexicana mostrou todo o potencial que não conseguiu apresentar nas dez partidas da quarta fase das eliminatórias da América do Norte e Central. Atuando em um estádio Azteca ensurdecedor, com quase 100 mil espectadores, os comandados de Miguel Herrera se impuseram desde o início do confronto e foram ameaçados em poucas oportunidades pelos rivais da Oceania. Foram sete vezes mais chutes a gol que os adversários (21 contra 3), em um massacre que fatalmente converteu-se em gols.

A tática de se fechar na defesa na tentativa de levar um empate para decidir em seus domínios mostrou-se eficiente para os All Whites até o primeiro terço da partida. Após o tento de Paul Aguilar que abriu o placar, contudo, a seleção que arrancou três empates de adversários mais fortes no Mundial da África do Sul ficou à mercê da maior capacidade técnica dos aztecas. Ainda na primeira etapa, Raúl Jiménez ampliou. No segundo tempo, Oribe Peralta (duas vezes) e o veterano zagueiro Rafa Márquez, de cabeça, completaram a goleada.

O gol de honra de Chris James tem pouco potencial para ameaçar a classificação mexicana. Apesar de um triunfo assim já ter acontecido antes na história (4×0 em um amistoso disputado em Auckland, em 1980, na estreia do atual treinador Ricki Herbert pela seleção local), os mexicanos não sofrem quatro gols em uma partida da seleção principal desde um revés para a forte Argentina em um amistoso em 2008, enquanto os neozelandeses não marcam mais de três gols em um rival de fora da Oceania desde um duelo contra a fraca Malásia em 1999.

Ou seja, somente um desastre de proporções gigantescas tira a vaga da Tricolor. Mas a necessidade de passar pela repescagem e o risco de nem mesmo alcançá-la vivido nas últimas rodadas servem de alerta e devem pautar boa parte da preparação do grupo para o Mundial. A ordem agora é aprender com os erros, focar nos acertos, garantir de vez o lugar no Brasil e voltar a brigar por um lugar no grupo dos grandes do futebol mundial.

Curtas

– Seleção do site Mediotiempo da 17ª rodada do Apertura: Federico Villar (Morelia), Giovanni Burón (América), Joel Huiqui (Morelia), Enrique Pérez (Morelia) e Hector Morales (Atlante); Daniel Ramírez (Pumas UNAM), Diego de La Torre (Querétaro), José Juan Vázquez (Léon), e Hernán Darío Burbano (León); Mauro Boselli (León) e Wilberto Cosme (Querétaro); T: Ignacio Ambriz (Querétaro);

Costa Rica

– Uma goleada por 4×1 sobre o Limón manteve o Herediano na liderança do Campeonato de Invierno da Primera División, com 45 pontos em 20 partidas, mesmo com um jogo a menos que os rivais. Vice-líder com 44 pontos, a Alajuelense superou a Universidad de Costa Rica, enquanto o Saprissa não passou de um empate frente ao Belén e tem 41;

– Na briga pela quarta vaga na fase final o Cartaginés contou com dois gols do veterano atacante Erick Scott para vencer o Municipal Pérez Zeledón, alcançar 31 pontos e garantir a última vaga na semifinal da competição, mesmo restando ainda uma rodada em disputa;

Guatemala

– Na briga pelo topo da Liga Nacional, o Municipal venceu o Comunicaciones no “Clásico Chapín” e impediu o rival de assegurar a ponta da primeira fase do Apertura, com um gol marcado por Marco Ciani, cria da base Crema. Atual bicampeão, o Comunicaciones soma 41 pontos, contra 38 do Municipal;

– Faltando duas rodadas para o fim da fase de classificação, Heredia (32 pontos), Universidad SC (32) e Marquense (31) já estão garantidos na fase decisiva, enquanto Malacateco (27), Halcones (26) e Suchitepéquez (24) completam o grupo dos que hoje estariam classificados para as quartas de final do Apertura, mas Mictlán (também com 24) e Xelajú (23) ainda sonham com uma das vagas;

El Salvador

– Um empate por dois gols no Derbi Capitalino manteve a excelente campanha do líder e já classificado Santa Tecla e complicou as chances de classificação do Alianza no Apertura. Os Albos têm 23 pontos, mas viram FAS e Juventud Independiente vencerem UES e Águila, respectivamente, alcançarem 28 e 27 pontos e garantirem vaga no mata-mata. Na quarta posição está o Isidro Metapán, que bateu o atual campeão Luis Ángel Firpo e chegou aos 25 pontos;

– Na última rodada, o Isidro pega o Águila em casa, enquanto o Alianza recebe o Firpo para decidir quem fica com o último posto nas semifinais da Liga Mayor;

Honduras

– Com Real Sociedad e Real España já garantidos nas semifinais do Apertura, a Liga Nacional definiu seus dois últimos semifinalistas no último fim de semana. Atual tetracampeão nacional, o Olimpia venceu o Parrillas One por 2×0, recuperou-se da derrota na partida de ida e garantiu sua vaga, enquanto o Deportes Savio ficou com o passe mesmo perdendo para o Platense por 2×1, graças a goleada (5×1) imposta no primeiro duelo entre ambos;

– Na fase semifinal, as partidas de ida acontecem já nesta semana: o Savio recebe o Real Sociedad na quinta-feira, enquanto o Real España visita o Olimpia no dia seguinte;

Panamá

– No duelo de ida das semifinais da Liga Panamenha, o líder Tauro obteve um importante triunfo sobre o Independiente na casa do adversário, pelo placar mínimo, com gol marcado pelo jovem Israel Sanjur, já nos acréscimos;

– Na outra partida, San Francisco e Plaza Amador ficaram no empate: Josueth Holder abriu o placar para os Leones na primeira etapa, mas os donos da casa empataram já no fim do jogo, mantendo a disputa em aberto para o duelo da volta;

Jamaica

– Uma vitória mínima sobre o August Town colocou o Tivoli Gardens na vice-liderança da National Premier League, com 13 pontos em 8 jogos, ao lado de Humble Lions e Cavalier. A ponta isolada da Red Stripe Premier League é do Montego Bay United, que venceu o Waterhouse por 3×0 e alcançou 16 pontos. O atual campeão Harbour View tem 11 pontos, enquanto o Portmore United segue na lanterna, com apenas 5 pontos;

Trinidad & Tobago

– Como a próxima rodada acontece somente no início de dezembro, a TT Pro League segue com o W Connection na liderança isolada, com 15 pontos e 100% de aproveitamento. O Point Fortin Civic tem 9 pontos em 6 partidas, mesma pontuação do Central. Atual campeão, o Defence Force é apenas o 8º colocado, com 6 pontos;

Nicarágua

– Atual tetracampeão, o Real Estelí nem precisou contar com a vantagem obtida no duelo de ida das semifinais: venceu o Managua de virada e garantiu vaga na decisão do Apertura da Liga Nacional. O desafiante será o Walter Ferretti, que segurou o empate frente ao Diriangén fora de casa e ficou com a vaga pelo triunfo obtido na primeira partida. Vale dizer que os dois times conquistaram todos os últimos dez títulos em disputa no torneio local.