A semana histórica ao Leicester, eternizada pelos 9 a 0 sobre o Southampton, também representa o luto. Afinal, o conto de fadas vivido pelas Raposas teve um episódio trágico ocorrido há um ano: em 27 de outubro de 2018, o helicóptero que transportava o presidente do clube após uma partida contra o West Ham caiu no próprio estacionamento do Estádio King Power. Vichai Srivaddhanaprabha faleceu ao lado de outros quatro passageiros da aeronave. A comoção permanece um ano depois.

Para homenagear Vichai, o Leicester promoveu diversas ações. E não é apenas uma mera questão do clube exaltando o antigo dono. Há uma imensa participação voluntária da torcida, que realmente gostava do ex-presidente. A gratidão ao tailandês se dá sobretudo pela milagrosa conquista da Premier League 2015/16, mas também é reforçada por outros agrados que ele oferecia às arquibancadas e pelas ações filantrópicas na cidade. Havia um laço e uma identificação. Assim, o compromisso em casa contra o Burnley na última semana contou com um enorme tributo, assim como o próprio jogo ante o Southampton, no setor visitante.

Na data exata do acidente, o Leicester resgatou a memória de Vichai. Em entrevista ao site do clube, o capitão Wes Morgan e o goleiro Kasper Schmeichel falaram sobre o legado do ex-presidente.

“No estádio, nosso vestiário é uma lembrança constante das memórias que tivemos com ele. Há coisas que colocamos nas paredes. Tudo o que ele nos pedia era para lutarmos até o final, em qualquer o resultado. Acho que é uma ótima mentalidade e algo bom para lembrarmos o tempo todo. É seguro dizer que, sem ele, nenhum de nós estaria aqui. A história que fizemos juntos, como clube e como família, provavelmente não teria acontecido. Acho que a melhor coisa que podemos oferecer à família é que, neste período, eles não precisem pensar no futebol – que não existam problemas. Enquanto cuidarmos dos nossos trabalhos, eles podem ter um pouco de alegria por estarmos indo bem”, afirmou Schmeichel, que também era amigo de Vichai.

“Penso que esse clube é único, no sentido que o dono passava muito tempo com os jogadores. Ele costumava descer aos vestiários quando estava nos jogos, mesmo fora de casa. Ele vinha ver os rapazes, fazer uma piada e rir conosco. Tínhamos uma relação próxima. As pessoas do lado de fora podiam questionar o porquê de estarmos tão tristes, mas eramos próximos, passávamos muito tempo juntos. Obviamente, todos sofreram quando ele faleceu. Você anda pelo clube e sempre se lembra das coisas que ele fez, do homem que ele era. É algo bom, queremos entrar em campo e saber pelo que lutamos. Nós lutamos pelo Leicester, lutamos pelo chefe, lutamos por nós mesmos”, complementou Morgan.

No local onde o helicóptero caiu, o Leicester criou um memorial a Vichai e às outras vítimas. Será um ponto de peregrinação neste domingo. Além disso, o clube divulgou um vídeo em que demonstra bem o nível de emoção que envolve a torcida em relação ao antigo presidente. Vale conferir. Mesmo em inglês, o que não é acessível a todos, há sentimentos que não necessitam de tradução: