O técnico Antonio Conte deu muitos sinais de insatisfação depois da derrota de terça-feira da Internazionale, para o Borussia Dortmund, pela Champions League. Depois de abrir 2 a 0, o time tomou a virada para 3 a 2 sofrendo os três gols no segundo tempo. A raiva pelo resultado ruim é mais do que justificável, mas o treinador foi além da crítica do jogo. Conte falou sobre o erro de planejamento do clube, reclamou da falta de jogadores e disparou até contra os jogadores, mesmo que não fosse sua intenção, ao dizer que não tem como cobrar mais porque jogadores como Stefano Sensi e Nicolò Barella vieram de times como Sassuolo e Cagliari.

“Foi a mesma coisa que aconteceu em Barcelona. Na verdade, foi pior, porque tínhamos uma vantagem de dois gols”, afirmou Conte, visivelmente incomodado, ao falar à Sky Sports Italia. “É decepcionante, mas o que eu posso dizer? Dizem que eu tenho que sorrir mais na televisão. Eu deveria sempre dizer as mesmas coisas, o processo de crescimento, dar passo a passo, então apenas me façam perguntas e eu tentarei responder”.

“Não tenho nem vontade de comentar sobre o segundo tempo, pois há muito álibis e eu não quero criar nenhum mais. Eu apenas espero que esse tipo de partida ilumine as coisas para aqueles que precisam entender”, disse ainda o treinador. “Os rapazes estão a 100% e eu posso apenas agradecer a eles por tudo que eles têm feito neste período. Eles não podem dar mais do que isso”.

“Me irrita e eu espero que esta derrota irrite meus jogadores também. Nós não podemos fazer mais do que trabalhar e é isso que estamos fazendo. Eu estou apenas cansado de dizer as mesmas coisas repetidamente, espero que um diretor venha aqui e diga as coisas”, disparou o comandante interista.

“Eu não me importo com janeiro ou fevereiro. Nós deveríamos ter planejado esta temporada muito, muito melhor. Nós provamos que nós podemos causar problemas a qualquer um se estivermos em boa fase, mas há jogadores que estão jogando sem parar. Eu estou farto disso. Você pode tirar suas conclusões de um segundo tempo como esse”.

“Não se trata do clube, é que temos que trabalhar juntos e grandes erros são cometidos. Nós não podemos jogar na Serie A e na Champions League constantemente sendo levados ao limite”, analisou o treinador. “Eu também falei com os jogadores, porque nós saímos de um 4 a 1 para um 4 a 3 contra o Sassuolo também, então não se trata apenas disso, mas os jogadores têm álibis e não há ponto em negar nossa situação atual”.

“Nós somos a Inter, então temos que olhar para nós mesmos e perceber que somos… Na verdade, eu ia causar controvérsia novamente, mas não, vou parar de falar agora. Eu estou realmente furioso, porque nós não podemos fazer mais do que isso. Nós chegamos ao limite”, declarou ainda o jogador.

Em outra entrevista, Conte deu mais detalhes sobre o que considera que é um problema. “Nós temos um elenco muito limitado para encarar tanto a Serie A e Champions League nesta temporada. Eu digo limitado tanto em termos de número quanto de qualidade”, afirmou o treinador italiano ao Sport Mediaset. “Alguns jogadores têm que estar no campo constantemente e no longo prazo, você paga por isso. Eu estou furioso, porque isso cancela todo o bom trabalho”.

“Eu não estou pedindo nada para o clube, estes são os jogadores e nós iremos para a batalha com estes jogadores. O clube irá fazer avaliações, eu estou apenas dizendo que todos nós avaliamos mal quando planejamos para esta temporada”, continuou o treinador. “Nós estamos em uma situação de emergência com apenas três jogadores machucados, enquanto outros times têm lesões e não sentem nada. Nós sentimos”.

Um dos pontos mais polêmicos da entrevista foi quando Conte falou sobre o currículo dos seus jogadores. A Inter só recentemente voltou a disputar a Champions League, na temporada passada. Os jogadores não estão acostumados a ganhar títulos, nem o clube: a última taça foi em 2010/11, a Copa da Itália. “Nós estamos falando de um grupo de jogadores que, tirando Godín, não ganharam nada. É difícil lidar com situações complicadas”, afirmou o técnico.

“Quem eu chamo? Nicolò Barella, que veio do Cagliari? Ou Stefano Sensi, que chegou do Sassuolo? Eu sempre irei agradecer aos jogadores por darem seu coração e alma e eu sei que estou pedindo o tipo de esforço que alguns acham difícil de lidar”, continuou o treinador. “Não podemos deixar nossa posição na tabela disfarçar os problemas que existem”.

As críticas de Conte foram muito pesadas para um clube que gastou bastante a pedido dele. Gastou cerca de € 170 milhões em reforços, que incluem jogadores caros como Romelu Lukaku, que custou € 75 milhões. Os jogadores que acabaram sendo indiretamente criticados por Conte por não terem experiência em times grandes, Nicolò Barella e Stefano Sensi, são dois jogadores de seleção, além de jovens de 22 a 23 anos, respectivamente. O clube ainda trouxe Alexis Sánchez a pedido do treinador, além de ter levado Diego Godín para Milão, este um desejo antigo da direção. Isso sem falar no salário do treinador, que começa em € 10 milhões e passará a € 12 milhões ao longo do contrato.

É preciso um pouco de autocrítica também do técnico, que teve um problema grande para conter Hakimi, destaque do Dortmund no jogo. Há problemas no time que o treinador precisará resolver. Fora de casa, o time ainda sofre. E é papel do técnico fazer com que os jogadores sejam melhorados, se sintam bem e ganhem o tamanho que podem ter. Sensi e Barella são jogadores de alto potencial e, mais do que isso, são hoje dois dos principais jogadores do time, mesmo recém-chegados.

Por tudo isso, Conte precisa tomar cuidado com as palavras, para não criar um problema dentro do seu próprio time. O elenco da Inter é realmente curto, tem poucas opções no banco em determinadas posições. O setor ofensivo é um exemplo: a lesão de Matteo Politano no jogo contra o Dortmund deixou o ataque ainda mais desfalcado, com apenas três jogadores: Lukaku, Lautaro Martínez e o jovem Sebastiano Sposito, de 17 anos.

Conte entrou em conflito com a diretoria da Juventus quando estava nas suas últimas temporadas. Pedia jogadores mais caros, que a diretoria dizia que não tinha como dar, e chegou Massimiliano Allegri que levou a Juve a duas finais de Champions em três anos. Conte é um excelente técnico e seu início de temporada é ótimo na Inter. É possível fazer mais com o elenco que tem e também tentar melhorar no que for possível. O mercado de janeiro é de correção de rota e pode servir para isso. O time pode render mais e tomar viradas saindo de 2 a 0 para um 3 a 2 não é só uma questão de falta de experiência. Conte pode e deve olhar para entro do time e dos problemas para começar a resolvê-los.