Drummond, Tom Jobim, Warhol, Henfil: Os 75 anos de Pelé por 10 craques das artes e da cultura

Nos 75 anos de Pelé, reunimos releituras da literatura, do cinema, da música, das artes plásticas e do cartum sobre sua obra no futebol

“Afortunadamente, no caso do Pelé, a comida de arte que ele oferece atinge o paladar de todos. O futebol é desses raros exemplos de arte corporal e mental que promovem a felicidade unânime, embora dividindo a massa, pois a fusão íntima se opera em torno da beleza do gesto, venha de que corpo vier”.

VEJA TAMBÉM: Como o futebol moldou a identidade cultural do brasileiro

As palavras acima saíram da mente única de Carlos Drummond de Andrade, em crônica escrita logo após Pelé anotar o seu milésimo gol. Um dos mais célebres nomes da literatura brasileira relaciona os diferentes tipos de artes com aquilo que Pelé faz em campo. Obras-primas em sua essência, o gol ou o texto ou o que mais vier a ser, que dependem da genialidade de seu criador acima do esforço e do aprendizado da técnica. “O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols como Pelé. É fazer um gol como Pelé”, assinalava o poeta.

Descrever os traços únicos da obra de Pelé não é trabalho para meros mortais. Para se captar a essência, e transmiti-la com igual divindade, é preciso ter uma mente tão privilegiada quanto. Transformá-la em diferentes tipos de artes. Assim, para homenagear os 75 anos de Pelé, recontamos o seu legado através de outros craques. Nomes da literatura, da música, das artes plásticas, do cartum e do cinema que concentraram seus lampejos em redefinir o espetáculo do camisa 10 com a bola nos pés. Destaque também para a crônica de Nelson Rodrigues em março de 1958, que proclamou o Rei três meses antes da coroação na Suécia, com a conquista da Copa do Mundo de 1958. Uma espécie de premonição.

Literatura

Pelé: 1000, por Carlos Drummond de Andrade

Jornal do Brasil, 28 de outubro de 1969

Drummond

A realeza de Pelé, por Nelson Rodrigues

Manchete esportiva, 8 de março de 1958

Nelson Rodrigues

Música

Tom Jobim – Radamés y Pelé

Love, Love, Love – Caetano Veloso

Artes plásticas

Rubens Gerchman

gerchman

Andy Warhol

warhol

Cartum

Henfil – Eu Matei Lennon

henfil

Maurício de Sousa – Pelezinho

pelezinho

Cinema

Canal 100 (1971) – Com a música “Obrigado, Pelé”, do MPB-4

Uma história de futebol (1998) – Paulo Machline