Não bastasse a derrota humilhante para o Dynamo Dresden, da terceira divisão, por 4 a 1 e a consequente eliminação da Copa da Alemanha ainda na primeira fase, o Hamburgo ainda viu um de seus jogadores, Toni Leistner, protagonizar uma cena vergonhosa ao subir as arquibancadas do Estádio Glücksgas para brigar com um torcedor do Dresden que o insultou após o jogo. Entretanto, o próprio Dynamo Dresden, clube por qual passou Leistner, condenou as ofensas de seu torcedor e se comprometeu a buscar identificá-lo e puni-lo.

Em uma publicação em sua conta oficial no Twitter, o Dynamo Dresden lamentou a atitude de seu torcedor e agradeceu a cooperação do restante dos torcedores no incidente: “É vergonhoso que Toni Leistner tenha sido insultado dessa forma por um torcedor de seu clube-natal após o jogo. Estamos procurando essa pessoa, porque não queremos deixar este incidente de lado. Obrigado a 99,9% de todos os frequentadores do estádio por seu apoio”.

Hoje com 30 anos, Leistner acaba de chegar ao Hamburgo depois de defender o Colônia por empréstimo na última temporada. Natural de Dresden, foi revelado pelo clube local Borea Dresden, antes de jogar por quatro anos no Dynamo, entre 2010 e 2014.

Leistner estava prestes a dar uma entrevista de pós-jogo ainda no gramado do Estádio Glücksgas quando ouviu as ofensas do torcedor, dirigidas também à sua família, e decidiu tirar satisfação. O jogador teve que ser separado do homem por torcedores ao redor da cena. Talvez pelo histórico de Leistner no próprio Dresden, esses torcedores não se juntaram à briga, apenas garantindo que a confusão acabasse.

Em sua conta no Instagram, Toni Leistner descreveu a situação e se desculpou por sua atitude. “Recebi alguns insultos enormes das arquibancadas em minha cidade-natal após o jogo. Normalmente, eu consigo lidar com isso, mas depois passou do limite e foram insultos contra minha família, minha esposa e minha filha. Naquele momento, perdi o controle especialmente porque este já era um jogo extremamente emotivo para mim”, explicou-se.

“Algo assim não deveria acontecer. Sou um homem de família que quer servir de modelo a ser seguido. Peço desculpas pelo meu comportamento e só posso prometer que, não importa quais insultos sejam lançados contra mim, algo como isto nunca mais acontecerá.”

De sua parte, o Hamburgo afirmou que tratará do assunto internamente, indicando algum tipo de sanção, mas que não irá puni-lo com a perda de um lugar na equipe. “Deixamos muito claro para ele que não iremos tolerar o incidente. Concordamos que precisamos e encontraremos uma maneira interna de lidar com isso. Também lhe garantimos que ele não será tirado do time por causa de sua ação”, afirmou Jonas Boldt, diretor esportivo do clube.