Uma das tarefas mais difíceis nesta reta final da temporada é elevar o moral do Borussia Dortmund. Os aurinegros viviam plenamente o desejo de reconquistarem a Bundesliga, quando sofreram dois imensos baques. O primeiro aconteceu com a derrocada no início do segundo turno, permitindo a aproximação do Bayern de Munique. E a goleada no último clássico jogou o respeito construído até o momento no chão, permitindo aos bávaros dependeram apenas de si para consumarem o heptacampeonato. Todavia, as chances sobrevivem ao BVB. Apesar do risco de um novo trauma, a luta segue em frente. Não é mais o time vibrante de meses atrás, que de certa forma possuía sua dose de sorte. Mas precisa cumprir sua missão a cada rodada e, neste domingo, deixou para trás os temores para completá-la com seriedade. Dentro do Estádio Schwarwald, goleada: 4 a 0 sobre o Freiburg, que amplia a esperança e também a angústia.

Contra um adversário que não possui grandes interesses no campeonato, praticamente garantido a mais uma temporada na primeira divisão, o Dortmund tratou de evitar a taquicardia. Precisou de 12 minutos para abrir o placar fora de casa. E o gol, apesar da complacência da defesa adversária, exibiu a magia de outros momentos dos aurinegros. Nasceu em uma troca de passes alucinante, colocando os adversários na roda. Marco Reus entregou o presente e Jadon Sancho apareceu na pequena área para escorar. Os aurinegros tinham uma atuação morna, e os anfitriões chegavam vez ou outra no ataque, com Roman Bürki realizando uma ótima defesa para evitar o empate de Gian-Luca Waldschmidt. Mas era o suficiente, algo que já satisfaz neste momento de pouquíssima empolgação ao redor do clube.

Reus também deixou sua marca no início do segundo tempo, ampliando a diferença aos nove minutos. Mesmo com Bürki reaparecendo, o Dortmund garantiu sua gordura. Tocava a bola com paciência no campo de ataque, até Raphael Guerreiro descolar uma enfiada de bola espetacular ao capitão. De frente para a meta, ele não perdoou. Já a goleada só tomou forma depois dos 30, quando o Freiburg parecia até mais disposto a balançar as redes do outro lado. As trocas de passes funcionavam aos visitantes, até Reus completar a sua segunda assistência, facilitando a finalização de Mario Götze. Por fim, a arbitragem assinalou um pênalti por toque de mão, após milagre do goleiro Alexander Schwolow. Na cobrança, Paco Alcácer bateu com firmeza e fechou a contagem. O BVB segue seu caminho.

O Borussia Dortmund chega aos 69 pontos. Tem um a menos que o Bayern de Munique, restando quatro rodadas para o fim da Bundesliga. Resta fazer sua parte e torcer contra os rivais – que ficaram próximos de um tropeço neste sábado, contra o Werder Bremen, em magra vitória na Allianz Arena. Se o confronto direto permanece como uma chaga aberta aos aurinegros, há o desafio de encarar uma sequência de partidas um pouco mais difícil que os concorrentes. A pressão para manter a cabeça erguida e tentar transformar a frustração em surpresa.