Demorou um ano em relação ao que o Borussia Dortmund gostaria, mas Lucien Favre foi anunciado como novo treinador do clube. O treinador, que estava no Nice, foi contratado depois que os alemães decidiram pagar a sua cláusula de rescisão com a equipe francesa, que era de € 3 milhões. Favre, de 60 anos, retorna à Bundesliga, onde já dirigiu Hertha Berlim e Borussia Mönchengladbach.

LEIA TAMBÉM: Já passou da hora da Bundesliga rever os seus playoffs, que só servem como tábua de salvação

O Dortmund queria contratar o treinador em 2017, antes de escolher o holandês Peter Bosz para o cargo. Como Favre preferiu continuar no Nice, o Dortmund buscou uma alternativa. A temporada, porém, acabou sendo abaixo do que se esperava. O Dortmund ficou só em quarto lugar na Bundesliga, depois de começar a temporada sonhando em desbancar o Bayern na disputa pelo título. Na Champions League, o time caiu na primeira fase e, na Liga Europa, ficou nas oitavas de final.

O desempenho sob o comando de Bosz não foi bom e ele foi demitido em dezembro. Foi contratado Peter Stöger, que vinha de um trabalho ruim no Colônia – que, por sinal, acabou rebaixado na Bundesliga como último colocado. Com Stöger, o time rendeu pouco, foi instável e acabou tropeçando demais na reta final, sofrendo para chegar à Champions League da próxima temporada. Conseguiu, mas já se sabia que o técnico não ficaria.

Sem Stöger, restava escolher um novo nome. Favre era favorito ao cargo pelos mesmos motivos que o faziam favorito há um ano: fez um ótimo trabalho a serviço, especialmente, do Borussia Mönchengladbach. Foi com o técnico que Marco Reus se tornou o jogador badalado que é atualmente, antes de ser vendido ao Dortmund, clube da sua cidade e pelo qual torce. Seu estilo de jogo de muita velocidade, com contra-ataques mortais, é algo que o credencia a fazer algo similar no clube aurinegro.

“Contratar Lucien Favre como nosso técnico é uma parte importante da nossa reformulação neste verão [o verão europeu acontece entre junho e agosto]”, afirmou o diretor esportivo do Dortmund, Michael Zorc, em um comunicado oficial. “Ele está bem alto na nossa estimação por suas habilidades, que ele mostrou diversas vezes no Hertha Berlim e no Mönchengladbach e também no Nice”.

O contrato do treinador suíço é de dois anos e Favre se mostrou feliz pelo acerto e a volta à Alemanha. “Treinar o Dortmund é um desafio atraente e eu estou satisfeito por abraça-lo”, disse o treinador. “Nós iremos começar a trabalhar em um novo time juntos. O Borussia Dortmund está entre os clubes mais interessantes da Europa e eu estou ansioso pelo meu retorno à Bundesliga”.

O desafio de Favre no Dortmund será fazer o clube novamente ser competitivo e brigar tanto na Bundesliga quanto na Champions League. Mais do que os resultados, há uma ânsia em fazer o time jogar bem novamente, algo que a equipe sofre desde a saída de Thomas Tuchel, último bom momento. Com jogadores melhores do que os que tinha nos seus últimos clubes, Favre terá o desafio de também fazer um time melhor, que renda mais e consiga lidar com ameaças de times dos menores aos maiores.


Os comentários estão desativados.