Era apenas uma questão de tempo até que os primeiros pacientes do coronavírus fossem diagnosticados no futebol de elite. Nesta terça-feira, surgiu a notícia de que Evangelos Marinakis testou positivo para o vírus. Um dos homens mais ricos da Grécia, o magnata é o proprietário do Olympiacos e também do Nottingham Forest. As preocupações se tornam naturais, envolvendo os dois clubes e os desdobramentos ao redor de ambos.

Marinakis confirmou ter o vírus nesta terça, através de suas redes sociais. O empresário declarou estar bem e se manterá isolado durante a recuperação. No entanto, o dirigente esteve presente em partidas recentes de ambos os clubes. Assistiu das arquibancadas aos jogos contra o Arsenal e o Millwall, nas duas últimas semanas, enquanto também manteve contato com os jogadores do Nottingham Forest e do Olympiacos. Marinakis ainda não havia manifestado os sintomas quando estava no Reino Unido.

Todo o elenco e os funcionários do Olympiacos passaram por exames durante as últimas horas. Os alvirrubros têm um compromisso na próxima quinta-feira, quando recebem o Wolverhampton no Estádio Karaiskakis, pelas oitavas de final da Liga Europa. Por conta do aumento de casos do coronavírus na Grécia, a partida já acontecerá com os portões fechados. Contudo, os ingleses cogitam um adiamento, até que esteja claro se os adversários sofreram também o contágio de seu proprietário.

Técnico do Wolverhampton, Nuno Espírito Santo questionou a posição de manter a partida: “Entendo a decisão de jogar com os portões fechados, mas qual o sentido do futebol? Não faz sentido. É mais que apenas o esporte, é uma situação social de saúde pública. Todo mundo está preocupado. Algo deve ser feito. Fechar os portões do estádio não é uma solução, isso não é normal. Estamos fingindo levar uma vida normal, quando as coisas não estão normais. Há uma outra solução? Por que não parar?”.

“Nós temos obrigações. Sou um funcionário. Se tivermos que ir, então iremos. Mas não estamos felizes em ir. O Olympiacos está sofrendo seus próprios problemas. É hora de pensar se existe outra opção, se poderemos parar. Isso eventualmente acontecerá também na Premier League, vamos pensar nisso. Estamos vivendo com medo. Se tivermos que ir como clube, também voltaremos. Como pai, eu me preocupo. Deveria ir, se não tiver obrigação do meu trabalho? É maior que o futebol, é a sociedade”, complementou o português.

Nuno Espírito Santo também é contra a ideia de jogar com portões fechados: “Eu não gostaria de jogar com portões fechados, honestamente. O maior propósito do futebol são os torcedores. Concordo com as decisões tomadas, para tentar prevenir a propagação do vírus. Mas e os torcedores que gastaram em hotéis, na viagem? Eles queriam ir e celebrar o clube na Liga Europa. Em sua própria vida, o impacto é enorme”.

A Championship publicou um comunicado nesta terça, após a confirmação de que Marinakis tem o vírus. A organização da segunda divisão inglesa declarou estar buscando aconselhamento médico sobre o assunto, para tomas as medidas corretas. O Nottingham Forest permanece à espera de orientações neste sentido, também. Já Millwall e Arsenal se manifestaram, confirmando o contato com Marinakis, mas apontando que nenhum funcionário relatou os sintomas desde então. Os clubes declararam seguir protocolos estritos para proteger seus membros, adotando as medidas sugeridas pelo governo.