Não foram precisos nem cinco minutos de jogo para sentir o clima de goleada. O São Paulo brincou de jogar futebol no Morumbi, em goleada por 5 a 0 que deu a impressão que poderia ser ainda mais elástica. Os tricolores tiveram domínio total do território e foram eficientes nas finalizações. E, tão importante quanto, sufocaram qualquer tentativa do Bolívar em sair para o jogo.

Foram 64 desarmes do São Paulo, quase o dobro dos 34 realizados pelos bolivianos. Um número ainda mais significativo quando se considera que os paulistas tiveram a posse da bola durante 68,8% do tempo. Além disso, 28 roubadas de bola foram realizadas no campo de ataque, representando a pressão exercida pelos são-paulinos na saída de bola.

Desarmes - São Paulo

Individualmente, o destaque ficou com Lúcio. O novo xerife da equipe de Ney Franco somou 14 desarmes, líder da estatística na partida ao lado de Bruno Cortês. Não por menos, das dez finalizações do Bolívar na partida, seis foram arriscadas de fora da área, dada a solidez defensiva dos anfitriões.

O veterano também se sobressaiu na saída de jogo, responsável por 45 passes corretos e somente dois errados, melhor do jogo também neste quesito. Lúcio acertou mais passes do que os quatro meio-campistas titulares do Bolívar – Miranda, Justiniano, Álvarez e Cardozo, juntos, somaram 35. E, embora não tenha participado dos lances de maior criatividade, foi o zagueiro quem iniciou a jogada do quarto gol, lançando Osvaldo antes da assistência para Jadson.

Mapa de calor - Lúcio

O ponta e o meio-campista também tiveram uma atuação de alto nível, ditando o ritmo do ataque, assim como Aloísio, surpreendente pela movimentação e pelo entrosamento imediato com Luís Fabiano. O teste pode não ter sido dos mais duros, mas serve para mostrar que a formação do time por Ney Franco está no caminho certo.