Dois torcedores do West Ham foram presos suspeitos de gestos homofóbicos contra a torcida do Brighton, no jogo entre os dois times que acabou em 3 a 3, pela Premier League, neste sábado. O London Stadium tinha mais de 60 mil pessoas para a partida. Denúncias de gestos e xingamentos homofóbicos foram feitos em jogos de vários clubes nesta temporada. O clube se posicionou de maneira dura e ameaça banir os torcedores, caso as alegações sejam comprovadas.

“Dois homens, torcedores do West Ham, foram presos suspeitos de fazer gestos homofóbicos”, disse o porta-voz da Polícia Metropolitana à BBC. “Um homem [também torcedor do West Ham] foi preso suspeito de agressão. Eles foram levados às delegacias de polícia no leste de Londres onde foram posteriormente liberados sob investigação. O inquérito continua”.

“O West Ham está enojado de ouvir sobre supostos incidentes homofóbicos no jogo contra o Brighton & Hove Albion. Esta questão está agora com a polícia, mas qualquer um que for condenado por agir de maneira discriminatório será banido pela vida inteira do London Stadium e de viajar para ver jogos do clube”, diz uma nota divulgada pelo clube.

“O clube é inequívoco nesta posição – nós temos uma abordagem de tolerância zero para qualquer forma de discriminação. Igualdade e diversidade estão no coração no clube de futebol e nós estamos comprometidos em continuar garantindo que todo mundo que entre no London Stadium seja livre para assistir seu time jogar futebol em um ambiente inclusivo”.

Isso já aconteceu também com o Brighton, adversário do West Ham no sábado, nesta temporada. Em janeiro, um torcedor do Brighton e um visitante foram expulsos do Amex Stadium durante um jogo contra o Chelsea por suposto xingamento homofóbico contra os torcedores adversários. Alguns torcedores do Everton também foram acusados de ter direcionado cantos homofóbicos contra torcedores do Chelsea em uma vitória por 3 a 1 no Goodison Park, em dezembro.

Já chegamos até a ter um jogo paralisado na Inglaterra por causa de gritos homofóbicos. No jogo da Championship, segunda divisão inglesa, entre Milwall e Reading, o árbitro interrompeu a partida depois de cantos homofóbicos. O Millwall, porém, afirmou que depois de uma investigação “intensa e exaustiva”, não encontrou provas sobre as infrações alegadas. Mais do que isso, o Millwall ficou “indignado” por cobertura da imprensa que implicava que o clube tinha culpa implícita.