Como será o Napoli com Carlo Ancelotti? Duas partidas são uma amostragem muito pequena em termos táticos e de estilo de jogo, mas já temos boas pistas de que força de vontade não faltará. Neste sábado, a equipe emendou a segunda virada seguida no Campeonato Italiano, ao sair da desvantagem de 0 a 2 contra o Milan e vencer no San Paolo, por 3 a 2.

A primeira reviravolta havia sido contra a Lazio, na estreia da Serie A. No Estádio Olímpico de Roma, os donos da casa fizeram 1 a 0 com Immobile, o Napoli empatou no final do primeiro tempo e alcançou a vitória aos 14 minutos do segundo tempo. A virada contra o Milan foi mais impressionante porque os três gols napolitanos saíram a partir dos oito minutos da etapa final.

Estreando na temporada, porque sua primeira rodada contra o Genoa foi adiada por causa das mortes na queda de uma ponte em Gênova, o Milan surpreendeu os donos da casa aos 15 minutos, quando Suso virou o jogo para Borini. O toque de cabeça encontrou Bonaventura, que acertou uma bonita finalização para abrir o placar. Pouco depois do intervalo, Davide Calabria ampliou para 2 a 0.

O Napoli descontou rapidamente com Piotr Zielinski, que vem sendo titular no lugar de Jorginho, transferido para o Chelsea. Ele acertou uma inteligente finalização cruzada no canto de Donnarumma. Após um escanteio, o polonês emendou a sobra, novamente da entrada da área, para empatar.

Uma alternativa que Ancelotti de fato introduziu à equipe foi a entrada de Mertens no lugar de Marek Hamsik. Em vez de atuar como centroavante, como fez com Maurizio Sarri depois da séria lesão de Milik, o belga entrou como um segundo atacante centralizado atrás do centroavante, com liberdade para se movimentar e entrar na área.

A dez minutos do fim, Diawara descolou o passe vertical para Allan, que cruzou da direita e encontrou Mertens na segunda trave. O belga finalizou com classe e garantiu a segunda vitória do Napoli em duas rodadas da Serie A. E uma estreia amarga para o Milan.


Os comentários estão desativados.