Por Paulo Junior e Leandro Iamin

A seleção brasileira feminina de futebol chega aos Jogos do Rio de Janeiro para a sexta disputa em seis torneios da história olímpica, desde 1996, em Atlanta. O retrospecto no período é de respeito: são quatro semifinais em cinco possíveis. Essa edição do Meu Time de Botão, uma produção da Central 3, lembra as melhores campanhas da equipe feminina do Brasil, vice-campeã em Atenas-2004 e Pequim-2008, além de uma derrota na final da Copa do Mundo de 2007, disputada na China, e o título do Pan-Americano do mesmo ano, no Maracanã.

LEIA TAMBÉM: O futebol feminino já foi proibido até pela lei brasileira, mas segue na luta pela emancipação

Mas se engana quem pudesse pensar que essa arrancada para grandes resultados tenha incentivado um crescimento expressivo da modalidade. Tente procurar numa pesquisa em sites esportivos qual clube é o campeão brasileiro feminino de futebol em 2004, quando a seleção de Renê Simões conquistava a medalha de prata na Grécia. Ou melhor, em relação à época em que Marta chegou à sua primeira Copa do Mundo, em 2003, alguém consegue precisar qual era o desempenho dela jogando pelo Vasco e pelo Santa Cruz, clubes que ela defendeu antes de ser contratada pelo futebol sueco? Informações da história do futebol feminino são raras.

Foi na resistência, na história de garotas que desde cedo venceram o preconceito e a postura dos meninos (e professores, familiares) que elas driblavam em campinhos por aí. Sem saber direito onde buscar um teste, muito menos se seria possível um dia pagar as contas enquanto jogadora profissional do esporte mais popular do país e do mundo.

Esse programa narra as quatro campanhas marcantes do período 2004-2008 da seleção brasileira, geração que tem ainda hoje, nos Jogos de 2016, as representantes Marta, Cristiane e Formiga.

Em Atenas-04, a equipe chegou até a decisão, mas acabou derrotada com um gol nos acréscimos e viu o ouro ficar com o favorito time dos Estados Unidos. Três temporadas depois, veio o título do Pan-07, no Rio de Janeiro, com goleada para cima das americanas (ainda que as rivais tivessem com um time sub-20). Na sequência, uma campanha gigante na Copa do Mundo do mesmo ano, desta vez com goleada sobre o time de cima dos EUA, mas derrota na final contra da Alemanha. Por fim, fechamos o podcast com a trajetória em Pequim-2008, quando o time do Brasil, mais maduro, atropelou as alemãs, mas novamente viu o ouro escapar com um gol das norte-americanas no tempo-extra.

Para aquecer às vésperas dos Jogos Olímpicos – o Brasil estreia nesta quarta-feira, 3 de agosto, no Engenhão -, essa edição do Meu Time de Botão conta em detalhes essas grandes campanhas do time brasileiro. Que busca a medalha de ouro, claro, como sempre; mas que infelizmente ainda luta por reconhecimento e espaço. Porque talento não falta.