Diogo Jota substituiu Cristiano Ronaldo e também incendiou Portugal na excelente vitória sobre a Suécia

Portugal precisou se virar sem Cristiano Ronaldo nesta quarta-feira de Liga das Nações, mas deixou bem claro como sua força não se limita ao grande craque. Apesar do desfalque por COVID-19, a Seleção das Quinas ainda assim atropelou no Estádio José Alvalade. A Suécia não teve muitas chances contra os lusitanos, sobretudo pela força ofensiva apresentada desde os primeiros minutos. Autor de dois gols e uma assistência, Diogo Jota foi o grande nome na vitória por 3 a 0, que mantém a disputa parelha com a França pela liderança da chave.

Diogo Jota foi justamente o escolhido para suplantar Cristiano Ronaldo contra a Suécia. De resto, Fernando Santos praticamente repetiu a escalação do empate contra a França no domingo, apenas escalando João Cancelo na lateral direita. E depois da exibição burocrática no Stade de France, a Seleção das Quinas não demorou a se impor em Lisboa.

Diogo Jota finalizou com muito perigo no primeiro ataque e, na sequência, William Carvalho cabeceou na trave. O domínio era de Portugal, com raras chegadas da Suécia. E quando os visitantes tentavam equilibrar mais o controle, saiu o primeiro gol, aos 21 minutos. A jogada teve participação essencial de Bruno Fernandes, que mesmo cercado por três adversários descolou uma excelente enfiada a Diogo Jota. O ponta invadiu a área e rolou para Bernardo Silva, livre do outro lado, bater de primeira.

A Suécia melhorou na sequência da partida e poderia ter empatado ainda no primeiro tempo. Marcus Berg dominou na área e fuzilou, mas a bola bateu na trave, com um leve toque de Rui Patrício. Todavia, Diogo Jota encaminhou a vitória aos 45. Cancelo recebeu na direita e fez o cruzamento com perfeição, mandando a bola às costas da defesa. O atacante se livrou da marcação na velocidade e, diante da meta, não perdoou.

O início do segundo tempo guardou boas chances para os dois lados, embora Rui Patrício fosse obrigado a trabalhar um pouco mais. A Suécia ainda acreditava numa reação. Mas, a partir dos 20, Portugal voltou ao controle e matou o jogo. Diogo Jota apresentou seu grand finale aos 27. Lançado por William Carvalho, o ponta ganhou a corrida do lateral e deixou o segundo marcador no chão, antes de bater no contrapé de Robin Olsen. Patrício negou o gol de honra a Alexander Isak com uma defesaça, mas no final o quarto gol até parecia mais provável.

O resultado torna o Portugal x França de novembro decisivo para a vaga na fase final da Liga das Nações. As duas equipes somam os mesmos dez pontos, com o conforto dos lusitanos por decidirem em casa – e com a volta de Cristiano Ronaldo. Promete-se um jogo melhor que o de Saint-Denis, até pelos recursos que Fernando Santos tem à sua disposição. Que os franceses sejam campeões mundiais, precisam respeitar quem domina a Europa desde 2016.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore