A torcida do Manchester City não se intimidou com a ameaça da Uefa, que abriu uma ação disciplinar contra o clube por causa das vaias ao hino da Champions League que tomaram conta das arquibancadas do Etihad Stadium na vitória sobre o Sevilla, em 21 de outubro. Os Citizens estavam protestando contra o Fair Play Financeiro e as restrições que a entidade europeia impôs ao campeão inglês.

LEIA MAIS: Com brilhantismo de Pogba, Juventus fica próxima das oitavas; City já está lá

Na última terça-feira, no jogo de volta contra o Sevilla, na Espanha, os torcedores que viajaram ao Ramón Sánchez mantiveram o protesto. Gritaram ainda mais alto quando o banner da Champions League entrou em campo e quando o hino da competição foi tocado. Em uma segunda manifestação contra a investigação coerciva aberta pela Uefa, organizaram uma vaia silenciosa, levantando papéis em que se lia “boo”.

“Se os torcedores acharem que algo está errado, todos têm o direito de dizer o que querem”, afirmou o técnico do City, Manuel Pellegrini, encerrando o assunto.

https://twitter.com/andyhampson/status/661631369815203840/video/1