A reação intempestiva de Douglas Costa na última rodada da Serie A, agredindo e dando uma cusparada em Federico Di Francesco, gerou uma série de teorias. Logo passaram a aludir que o jogador do Sassuolo havia feito ofensas racistas contra o brasileiro, que em nenhum momento mencionou isso em seus relatos ou no pedido de desculpas. Já nesta sexta, o italiano comentou o episódio, negando qualquer tipo de discriminação, mesmo que tenha admitido a discussão como o juventino. O atacante foi um dos destaques na vitória por 3 a 1 sobre o Empoli, anotando um gol de letra para fechar o placar.

“Nas redes sociais, as pessoas atacaram meu caráter. Eu fiquei desapontado, mas tentei sair dessa situação. Agradeço ao treinador e à minha família. Quero apenas falar sobre o campo e o trabalho, deixar para trás este capítulo – que não foi bom, mas aconteceu. O que eu diria? Não quero falar sobre isso. É normal usar palavras sujas em campo. Mas absolutamente eu não usei termos racistas. Eu morreria se fizesse isso, e agora não quero falar sobre o assunto pelo resto da minha carreira”, declarou Di Francesco, à Sky Sports.

Após o imbróglio, surgiram imagens de Di Francesco comemorando um gol quando defendia o Virtus Lanciano, em 2015/16. Na ocasião, ele ergueu o braço diante da torcida, o que foi entendido como uma alusão ao gesto fascista. Na época, o atacante disse que não era sua intenção e pediu desculpas pelo ocorrido. Também foi defendido pelo pai, o treinador Eusebio Di Francesco, que negou qualquer ligação do jovem com movimentos extremistas. Já nesta semana, depois do episódio com Douglas Costa, o técnico Roberto De Zerbi declarou que seu comandado é “exemplar” e disse que o jogador ficou “machucado” nos últimos dias, por ter sido acusado de algo que não fez.

Por conta do episódio, Douglas Costa recebeu quatro jogos de suspensão. A comissão de arbitragem avaliou sua cotovelada, sua tentativa de cabeçada e sua cusparada em Di Francesco. O ponta, entretanto, se lesionou durante a partida pela Liga dos Campeões e deve ficar fora de ação pelas próximas semanas.