O primeiro Nacional x Peñarol do ano aconteceu nesta segunda-feira, no Estádio Centenário. Deveria ser apenas um amistoso entre os maiores clubes do Uruguai, válido pelo chamado “Torneio de Verão”. Mas, afinal, não existe amizade em campo entre os rivais ferrenhos. E a vitória aurinegra por 2 a 0 acaba marcada pelas confusões ainda no primeiro tempo. Logo aos 25 minutos, houve uma grande confusão no centro do gramado. Resultado: troca de socos e uma expulsão para cada lado, antes que os carboneros abrissem sua vantagem no início do segundo tempo.

A confusão aconteceu após uma cobrança de falta do Peñarol. O goleiro panamenho Luis Mejía fez a defesa e, no rebote, saiu para a disputa com Fabián Estoyanoff. O atacante aurinegro acertou o goleiro tricolor e começou a confusão. Não satisfeito com a marcação da infração, Mejía foi tirar satisfação com Estoyanoff e tomou um soco do adversário. No entanto, quando os ânimos pareciam apaziguados, o arqueiro não quis deixar barato e também deu um murro no atacante, deixando-o no chão. Somente depois é que o árbitro mostrou o vermelho para ambos, recomeçando o clássico com 10 para cada lado.

Quando a bola rolou, o Peñarol comprovou que vive uma fase superior ao Nacional. Dominou o encontro e arrancou a vitória com dois gols nos sete primeiros minutos da etapa final. Agustín Canobbio anotou o primeiro gol e deu o cruzamento para Gabriel Fernández fazer o segundo. O grande personagem do clássico, de qualquer maneira, foi o veterano Walter Gargano. Contratado pelos carboneros em 2017, o volante dominou a faixa central e deu dois lançamentos magistrais na construção dos tentos. No início de fevereiro, o clássico voltará a acontecer pela Supercopa Uruguaia.