Goleiro do Peñarol, Kevin Dawson possui uma notável história de superação em sua carreira. Nascido em Colônia do Sacramento, o arqueiro passou pelas categorias formativas do Nacional e defendeu as seleções de base do Uruguai em competições internacionais, mas não conseguiu se profissionalizar com os tricolores. Assim, retornou à sua cidade e passou a militar no modesto Plaza Colonia, conciliando a carreira nas divisões de acesso com o trabalho de pintor para complementar sua renda. Capitão dos alviverdes, Dawson virou um dos protagonistas no conto de fadas vivido pelo clube, que chegou à elite do Campeonato Uruguaio e conquistou o inimaginável título do Torneio Clausura em 2016. Vendido ao Peñarol na temporada seguinte, passou a ser considerado um dos melhores do país na posição e, durante o último ano, mais do que liderar os carboneros à conquista do título nacional, também terminou eleito como o melhor jogador da liga. Um ídolo que também possui um coração gigantesco.

A cena pela qual Dawson merece aplausos aconteceu neste sábado, durante a rodada do Campeonato Uruguaio. Os carboneros viajaram a Colônia do Sacramento e derrotaram o Plaza Colonia por 1 a 0, gol de Guzmán Pereira. Bastante festejado pelos conterrâneos, o goleiro voltou à pequena área depois da partida para fazer a alegria de um torcedor. Lucas, que tem Síndrome de Down, pediu para cobrar um pênalti no ídolo. Desejo prontamente atendido não apenas pelo camisa 12, mas também pelo árbitro, que apitou a autorização ao arremate.

Após pegar a bola e ajeitá-la com carinho, Lucas teve a honra de cobrar a penalidade contra Dawson. E que o goleiro tenha feito pose na hora de saltar, o convidado especial apresentou seu talento. O chute colocado não saiu com tanta força, mas seguiu rente à trave e dificultaria bastante a defesa em condições normais. Aplaudido pela torcida, o artilheiro saiu correndo na comemoração e ganhou os cumprimentos do arqueiro vencido. Em suas redes sociais, ambos os clubes celebraram o momento. Vitória da empatia.