O ex-jogador do Manchester United, Ryan Giggs, colocou seus dois hotéis à disposição do NHS, National Health System, o Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido. A criação de leitos é uma das ações que os governos têm tomado no combate à pandemia da COVID-19, causada pelo novo coronavírus.

O Hotel Football, perto de Old Trafford, onde fica o estádio do Manchester United, e The Stock Exchange, no centro da cidade, tem como sócios Giggs e Gary Neville e fazem parte do grupo GG Hospitality. O Chelsea anunciou na semana passada que colocou o Millenium Hotel, em Stamford Bridge, à disposição da NHS. Giggs e Neville seguiram o exemplo.

“Nós seguimos os passos de fechar os hotéis em um estádio bem cedo”, afirmou Giggs à Sky Sports News. “A prioridade foi a saúde de tanto os hóspedes quanto dos nossos funcionários. Então olhamos para o aspecto econômico do nosso negócio, garantindo que os funcionários fossem pagos, mas passando para a falta de leitos do pessoal da NHS”.

“Minha mãe foi auxiliar de enfermagem por 25 anos no Hospital de Crianças de Manchester, então ela ainda tem amigos lá e ela nos avisou desde cedo que haveria uma escassez de leitos para as pessoas ficarem, então tomamos as medidas de oferecer os quartos em ambos hotéis para a equipe médica e equipe da NHS para usarem de graça”, contou Giggs.

“A reação foi boa. É a coisa certa a se fazer. No momento, nós temos 20 pessoas da equipe da NHS em um hotel e 15 no outro. Nós esperamos em uma semana que os dois hotéis estejam cheios. Isso dá algo em torno de 170 quartos”, explicou o hoje treinador da seleção galesa. “É claro, tudo que vem com isso, garantir a garantia de segurança para a nossa equipe no que diz respeito ao vírus e também para a equipe da NHS. Nós os esperamos conosco por cerca de 10 dias. Nesse tempo, eles têm um lugar, depois de trabalhar longas horas como eles fazem, para vir e relaxar e se prepararem para o trabalho no dia seguinte”.

Giggs também elogiou a ação da Uefa de adiar a Eurocopa para 2021. Como técnico, ele classificou o time para a competição e, neste momento, estaria preparando a equipe para a disputa do torneio. “A Uefa tomou a decisão certa, 100%, ao adiar a Eurocopa”, disse o jogador.