Depois de quase se divorciarem, Neymar e PSG negociam uma renovação de votos

Atacante fez tudo que podia para deixar o clube em 2019, foi obrigado a ficar, e agora o mais provável é que o contrato vá além de 2022, data do término atual

Em setembro de 2019, Neymar e Paris Saint-Germain viviam um relacionamento terrível. O brasileiro tinha deixado claro, inclusive na imprensa, que queria sim ter saído e o clube que o impediu. O PSG se negou a dar o divórcio desejado por Neymar, que ficou em Paris a contragosto. O que o atacante fez foi fechar a boca e jogar bola. E muita bola. Sua temporada 2019/20 foi das melhores da carreira, individualmente. E passado um ano e poucos meses, as duas partes parecem dispostas a fazer uma renovação de votos deste casamento tão badalado.

[foo_related_posts]

Segundo informado pela ESPN, o PSG abriu conversas com Neymar para renovar o contrato do jogador para além de 2022, ano da Copa do Mundo no Catar, país dos donos do clube. O brasileiro estaria satisfeito com seus rendimentos atuais, €3 milhões líquidos por mês (algo como €32 milhões por temporada), e estaria disposto a assinar por mais cinco anos (chegando até 2025). Para que o atacante receba esse valor líquido, o gasto bruto é enorme.

Para isso, porém, pediu ao diretor de futebol, Leonardo, garantias sobre os planos do clube em campo para os próximos anos. Ainda segundo a ESPN, as duas partes estão otimistas que um novo acordo será assinado. Leonardo admitiu em entrevista recente que negocia sim uma renovação com Neymar, mas não só com ele.

Kylian Mbappé, Ángel Di Maria, Juan Bernat e Julian Draxler também negociam para renovar seus contratos. As negociações com Neymar, porém, estariam mais avançadas que todos esses outros. Neste momento, é bastante possível que vejamos Neymar ter contrato com o clube até bem depois dos seus 30 anos.

Em 2017, Neymar deixou o Barcelona de Lionel Messi e Luis Suárez, seus amigos, para buscar um caminho diferente no PSG. Individualmente, ele teve um bom desempenho desde então. Na sua primeira temporada, 2017/18, foram 30 jogos, 28 gols e 16 assistências. Viveria algo que se tornou frequente nos anos em Paris: as lesões, sempre na segunda metade de temporada. Nesta primeira, até a sua participação na Copa ficou comprometida.

A segunda temporada, 2018/19, foram 28 jogos, 23 gols e 13 assistências. Novamente uma lesão na segunda metade da temporada o tirou dos jogos eliminatórias da Champions League e ele viu da beira do campo a sua equipe ser tirada do torneio pelo Manchester United. Assim como no ano anterior, o bom desempenho em campo, para além dos números terminava sempre com uma certa frustração pelo desempenho europeu do time, dois anos sem ele.

Em 2019/20, vivemos uma temporada maluca, com a segunda metade completamente comprometida pela pandemia de coronavírus. Enquanto tivemos jogo, o que vimos foi uma das melhores temporadas da vida do jogador. Em 27 jogos, fez 19 gols e 12 assistências. Esteve em campo nos momentos mais importantes e conduziu o time até a final da Champions League. A derrota para o Bayern foi dolorosa, porque foi pelo placar mínimo, mas o desempenho dele e do time, indo até a decisão, melhorou muito a relação do jogador e do clube.

O desempenho excelente em campo contrasta com a ausência em campo. Neymar jogou só 53% dos jogos oficiais do clube desde que chegou do Barcelona pela quantia recorde de €222 milhões. Suas estatísticas totais são bastante boas: em 91 jogos, 72 gols e 41 assistências. O PSG parece um time mais estável desde a volta de Leonardo como diretor esportivo.

Segundo o Le Parisien, o jogador está se sentindo muito bem em Paris. “Estou no meu melhor momento em Paris”, afirmou o jogador em agosto, mês que se deu a fase final da Champions League em Lisboa. “Ele está feliz no PSG”, disse uma pessoa do entorno do jogador ao Le Parisien. Para ficar no clube, porém, ele quer garantia que o PSG continuará investindo para ser um clube de ponta no continente e com um objetivo claro. “Ele quer estar em um clube competitivo, que vai para as semifinais da Champions League. Sua vontade absoluta é vencer a competição novamente”.

Neymar teria ficado preocupado com as saídas de Edinson Cavani e Thiago Silva. Sua relação com Thomas Tuchel é boa. O atacante vai querer saber também qual é o plano do clube em relação ao técnico. Para que o PSG mantenha Mbappé, será preciso uma renovação em padrões também muito altos, o que pode comprometer a capacidade do time de ter outros jogadores do mais alto nível. Neste momento, segundo o Parisien, o PSG vê como mais fácil manter Neymar do que Mbappé.

Até porque o grande desejo de Neymar, que era voltar ao Barcelona, se arrefeceu com a crise no clube catalão. Não só o Barça não parece ter condições financeiras de bancar a sua volta, como nem Messi mais pode estar lá em breve. Depois de tentar sair do clube nesta temporada, é difícil saber o que o argentino fará em junho de 2021, quando acaba o seu vínculo com o clube da Catalunha. E mesmo que Messi continue, o caos esportivo no clube parece não ser o mais atraente para quem deve ter seus grandes anos em forma física e técnica nos próximos anos.

Em uma relação tão conturbada como parecia ser Neymar e PSG em setembro de 2019, com um divórcio iminente, parece que os dois farão votos apaixonados de novo em breve, renovando um vínculo e o sonho de conquistarem tudo que for possível, especialmente a Champions League. Neymar sabe que conseguir isso seria uma forma incrível de marcar o seu nome na história do clube e da competição. Resta saber se essa nova lua de mel acontecerá mesmo.