Gênova é palco de um dos clássicos mais acirrados do futebol italiano. O Derby della Lanterna tem como protagonistas dois clubes históricos, Genoa x Sampdoria, de torcidas inflamadas e muita representatividade regional. Neste domingo, aliás, mais um episódio da rivalidade aconteceu no Estádio Luigi Ferraris. Em noite de espetáculo nas arquibancadas, com bandeiras e mosaicos no recebimento aos times, incluindo aí a comemoração de 125 anos do Grifone, prevaleceu o empate por 1 a 1. Fabio Quagliarella abriu o placar à Samp, enquanto Krzysztof Piatek empatou cobrando pênalti ao Genoa – que só não virou por conta dos milagres do bom goleiro Emil Audero. E o sucesso de mais um confronto serviu de impulso à prefeitura genovesa para uma curiosa oferta: realizar a final da Libertadores também no Luigi Ferraris.

Vale lembrar que Boca Juniors e River Plate têm bastante a ver com a cidade italiana. Ambos os clubes foram fundados em La Boca, bairro portuário de Buenos Aires onde viviam muitos imigrantes. Os genoveses estavam entre as mais significativas comunidades na cidade. Não à toa, o apelido dos torcedores boquenses é “xeneize” – derivação de “zeneise”, como se diz “genovês” no dialeto lígure. Já entre as versões sobre as cores do River Plate, uma diz que o vermelho e branco foram tomados da bandeira de Gênova, com a faixa fazendo referência à Cruz de São Jorge. Durante seus primórdios, ambas as equipes tiveram membros genoveses em seus quadros.

Desta maneira, a prefeitura de Gênova publicou seu comunicado, enviado aos presidentes de ambos os clubes. “Queridos presidentes. Nossa cidade, próxima de uma maneira histórica, cultural e esportiva com Buenos Aires, sente ligações profundas e indissolúveis com os seus dois clubes prestigiosos, fundados por nossos compatriotas que emigraram da Itália para a Argentina no início do Século XX e hoje são geminados com nossos dois times, Genoa e Sampdoria”, escrevem.

“Os eventos dolorosos que recentemente nos atingiram acabaram despertando um profundo senso de comunidade e de redescobrimento de nossas raízes. Por isso, como secretário de esportes da prefeitura de Gênova, fico feliz e honrado em comunicar que nossa cidade se disponibiliza para receber essa importante e prestigiosa final de copa, o dérbi da capital argentina. Sou grato por sua atenção e continuo aberto para qualquer coisa que vocês precisem”, conclui a carta. Aparentemente, não é nada além do que uma oportunidade para promover a cidade italiana. Mas não deixa uma maneira de valorizar os laços históricos, em sugestão de boa vontade.