A campanha do West Ham na Premier League é decepcionante de modo geral. O time que brigou por vaga na Champions League na temporada passada briga para não cair neste ano. A decepção dos resultados também atinge Jonathan Calleri, atacante argentino que se destacou no São Paulo na Libertadores, foi para o clube londrino e até agora não vingou. Mas a sua participação no jogo do último sábado, uma sofrida vitória por 1 a 0 sobre o Swansea, deu moral ao jogador. O técnico Slaven Bilic deve apostar nele como titular no lugar de Michail Antonio, que se machucou.

LEIA TAMBÉM: Fuchs fala sobre a polêmica dos jogadores do Leicester contra Ranieri: “Completa mentira”

O jogo do último sábado foi muito importante para o West Ham. O time vinha de cinco derrotas consecutivas e a proximidade da zona do rebaixamento já assustava os torcedores. O Swansea, ainda atolado na zona de descenso, precisava dos pontos para encostar nos Hammers. Com 28 pontos, a vitória levaria a 31 contra 33 do time de Bilic. Com a vitória por 1 a 0, o West Ham foi a 36 e abriu oito pontos do Swansea – e consequentemente da zona do rebaixamento.

Calleri começou a partida no banco. Foi chamado pelo técnico Slaven Bilic aos 40 minutos do segundo tempo para substituir o lesionado Michail Antonio. Entrou no jogo e foi muito bem. “Foi um jogo difícil. Nós dois estamos jogando para permanecer na Premier League e estes três pontos foram realmente bons para nós, porque não vencíamos há sete jogo”, disse Calleri, em entrevista ao site do West Ham. “O jogo foi difícil. Cada jogador teve que jogar a 100%. O modo como jogamos não foi o melhor, mas nós conquistamos os três pontos”, continuou o argentino.

A temporada de Calleri até aqui é de poucos minutos. Foram só 250 minutos até aqui na Premier League, em 11 jogos disputados, sempre vindo do banco, e só um gol. “É difícil começar o jogo como reserva no banco. Eu tive sorte de jogar alguns poucos minutos e ganhamos o jogo, mas é uma pena que Michael esteja machucado”, afirmou o jogador.

Calleri entrou aos 40 minutos do primeiro tempo e, no intervalo, o capitão do West Ham, Mark Noble, disse aos jornalistas que o time precisava dele para vencer. “Mark é sempre muito positivo, ele disse para mim ‘corra rápido, você terá chances’. Eu acho que foi um bom jogo, eu posso oferecer muito mais, mas é o começo de algo bom”, contou Calleri.

Com só um gol marcado, Calleri ficou perto de marcar pela primeira vez no estádio de Londres. “Eu estava perto de marcar, talvez eu tivesse marcado o gol em uma situação diferente. São coisas que acontecem no futebol e eu tentarei marcar no próximo jogo”, disse o atacante. “Teria sido um gol perfeito. Foi um bom movimento de Manuel [Lanzini], mas eu não tive sorte para finalizar apropriadamente”.

Lanzini é um dos companheiros mais próximos de Calleri. Pudera: é argentino assim como ele e chegaram a se enfrentar ainda no país natal, quando atuavam no River Plate e Boca Juniors. “Manu é um bom colega, eu passo muito tempo aqui com ele e como argentinos, nós sempre tentamos estar juntos”, conta.

No próximo sábado, o West Ham terá pela frente o Sunderland, último colocado da Premier League. Com Michail Antonio machucado, Calleri é especulado para começar a partida como titular, pela primeira vez desde ser contratado no último mês de agosto.

“Nós temos seis jogos restantes. Como jogador, eu sempre tento fazer o meu melhor para jogar todos os jogos, mas cabe ao técnico decidir quem joga. Sábado pode ser uma chance para começar jogando e, se eu começar, eu tentarei fazer o meu melhor para ser a primeira opção do técnico para jogar”, disse Calleri.

O atacante argentino está no clube por empréstimo, vindo do Deportivo Maldonado – um clube famoso por ser usado por empresários para manter os direitos federativos de jogadores. Calleri precisa mostrar mais serviço se quiser manter-se jogando no futebol europeu, ainda que não seja no West Ham.