O técnico Julen Lopetegui foi demitido do cargo de técnico da Espanha, a dois dias da estreia do país na Copa do Mundo da Rússia, contra Portugual. O anúncio foi feito pelo presidente, Luis Rubiales, na concentração da Espanha, em Krasnodar. Lopetegui foi anunciado como técnico do Real Madrid nesta terça-feira, de forma surpreendente. Os dirigentes não gostaram e a decisão, cerca de 24 horas depois, foi demitir o técnico que levou a Roja até a Rússia. Os dirigentes se sentiram traídos pelo treinador, que renovou seu contrato até 2020 há três semanas.

LEIA TAMBÉM: Guia da Copa do Mundo 2018, Grupo B: Espanha, Portugal, Irã e Marrocos

“Nos vemos obrigados a prescindir do técnico da seleção nacional”, anunciou Rubiales na coletiva de imprensa. “A seleção é a equipe de todos os espanhóis e há decisões que estamos obrigados a tomar em função da forma de atuar. Nos encontramos em uma situação inesperada, com uma negociação [entre o Real Madrid e o técnico] que nunca se informou à Federação. Tem que haver uma mensagem clara. Há uma forma de atuar que temos que cumprir. Estamos obrigados a tomar uma decisão”.

O presidente da Federação Espanhola contou que foi informado pelo Real Madrid que Lopetegui tinha sido contratado cinco minutos antes do anúncio oficial. Ele pediu que o anúncio não fosse feito, porque atrapalharia a preparação da seleção espanhola. Não foi ouvido. “Quando tentei pará-lo, me inteirei que já estavam contando aos jogadores”, disse Rubiales. “Aqui ninguém pode estar fora das regras da equipe, aqui não devemos salvar as aparências, mas defender os valores da equipe”.

Segundo o El País, os jogadores falavam sobre o assunto e a especulação ia além dos jogadores do Real Madrid, que provavelmente já sabiam. Todos no elenco falavam antes do anúncio. O técnico, então, resolveu chamar uma reunião para comunicar que tinha assinado com o Real Madrid. Os jogadores, em sua maioria, ficaram indignados e perplexos. O capitão da Espanha e do Real Madrid, Sergio Ramos, foi quem saiu em defesa do técnico. O receio maior, compreensivelmente, foi entre os jogadores que não são do Real Madrid, ou não estão na órbita do clube da capital. Pouco depois da reunião com os jogadores, o Real Madrid anunciou a contratação.

Desde então, Rubiales fez diversas reuniões com dirigentes e com os jogadores mais experientes do elenco. Apenas Sergio Ramos defendeu o técnico. Os demais disseram que a autoridade de Lopetegui tinha se perdido e que o melhor era preservar a equipe e demitir o treinador. Os dirigentes argumentaram com Rubiales que a sua autoridade e dignidade como presidente da Federação não poderia ser comprometida para preservar os interesses de uma minoria representada por Sergio Ramos. A decisão foi tomada. E o anúncio chacoalha o futebol.

Segundo o jornal El País, Jorge Mendes, empresário próximo de Lopetegui ao longo de sua carreira, desde os tempos em que o espanhol atuava como goleiro, foi o principal facilitador à sua contratação pelo Real Madrid. Há mais de um ano ele dizia a Lopetegui que o levaria ao clube espanhol. Fernando Hierro, diretor esportivo, se sentiu traído. Era um dos mais próximos de Lopetegui, de quem é amigo pessoal. O treinador perdeu um defensor dentro da diretoria da Federação Espanhola.

Curiosamente, a Federação Espanhola confirmou que Fernando Hierro, diretor esportivo da seleção espanhola, assume interinamente o posto de técnico durante a Copa do Mundo. Logo ele, o amigo pessoal. Ele era um dos mais cotados. Foi assistente técnico do Real Madrid durante algum tempo.

A Espanha estreia na Copa do Mundo na sexta-feira, em Sochi, contra a seleção de Portugal, às 15h.


Os comentários estão desativados.