A Ferroviária garantiu neste domingo o acesso à primeira divisão do Campeonato Paulista, depois de 19 anos afastada. A tradicional Ferrinha, de Araraquara, passou por muitos anos difíceis, mas conseguiu o acesso com uma campanha avassaladora e com duas rodadas de antecedência. Em 17 jogos, o time conquistou 40 pontos, com 13 vitórias, um empate e três derrotas. São 34 gols marcados, 12 sofridos – saldo de 22. O aproveitamento é raro: 78,4% dos pontos. Tudo isso com o técnico do time, Milton Mendes, sob muita desconfiança no início do trabalho. Mas depois do futebol e dos resultados que vieram, os próprios torcedores da Ferrinha trataram de mudar esse quadro.

O início ruim nos amistosos e a falta de experiência de Milton Mendes em times do interior era vista com desconfiança e críticas. Foi só nos jogos oficiais e com a campanha incrível do time que as coisas começaram a mudar. Os torcedores fizeram questão de homenagear o treinador e o artilheiro do time na A2, Alan Mineiro. As cartas foram entregues em mãos e são emocionantes.

LEIA TAMBÉM: A torcida do Atlético Paranaense se cansou do time e resolveu ver duas crianças jogando na arquibancada

A última destas 13 vitórias veio neste sábado, no estádio Dario Rodrigues Leite, em Guaratinguetá. O time da casa, Guaratinguetá, é o pior da A2, já rebaixado e com apenas três pontos em 17 jogos – uma vitória e 16 derrotas. Mesmo assim, o jogo não foi fácil para a líder. O gol veio com Tiago Adan, de pênalti, aos três minutos do segundo tempo. Uma vitória que só garantiu uma das quatro primeiras posições, uma vez que o Mirassol, quinto, tem 32 pontos, oito a menos com duas rodadas para o fim do campeonato.

Os campeonatos estaduais estão longe, muito longe do que deveriam ser. Essas histórias deveriam ser as de protagonismo, dos clubes do interior com calendário para o ano inteiro, não acabando em maio. São Paulo ainda é uma exceção, por ter uma Copa Paulista relativamente longa. Mesmo assim, deveria haver um maior cuidado para que os estaduais tivessem a importância que têm, sem os jogos arrastados que vemos nos principais estaduais do país.

Parabéns, Ferroviária. A Fonte Luminosa estará lotada em 2016 para assistir aos jogos do time na primeira divisão, um motivo de orgulho, e começar outra batalha: a busca de vaga na Série D, para ter uma divisão nacional e buscar o seu lugar ao sol.

Veja a carta dos torcedores da Ferroviária ao técnico Milton Mendes:

Professor, o início do texto se dará com um pedido de desculpas. Desculpe o torcedor grená em geral por tanta desconfiança no início do seu trabalho. Foram anos de campanhas ilusórias e que terminaram em decepção, com o nome da Ferroviária deixando de circular entre os grandes para amargar resultados de pouca expressão, derrubando o ânimo e ressabiando o torcedor da Ferroviária.

Ninguém sabia o que esperar do senhor. Os imediatistas criticaram a escolha, alegando falta de experiência no comando de clubes do interior paulista. Alguns acreditavam que a Ferroviária estava dando outro tiro no escuro. Perdoe-nos, professor. Poucos sabiam de toda a qualificação europeia conquistada nos mais diversos cursos no velho continente… O senhor foi uma surpresa extremamente grata.

O trabalho realizado até hoje foi brilhante. Superando desfalques, suspensões, praticamente tendo de escalar um time diferente por rodada, você superou tudo. Os treinamentos táticos, importantíssimos, impactam em campo de modo a fazer notar a organização grená dentro das quatro linhas. O domínio absoluto da equipe em seus domínios é um dos seus grandes méritos, professor.

Além disso, agradecemos pelo senhor ser dotado de tamanha coragem. Não ter medo de substituir um jogador ainda no primeiro tempo ou alterar o esquema tático durante a partida é uma atitude para poucos treinadores no planeta. Temos a sorte de contar com um deles. Obrigado pela sua coragem, Milton Mendes.

Mas acima de tudo, queremos agradecer pelo seu caráter. Qualificação não basta, sempre é necessário uma grande dose de profissionalidade, responsabilidade e caráter. E isso sobra em sua pessoa, professor. Rigidez nos treinamentos e jogos, sem deixar de conquistar todos os membros de sua equipe. A família formada por você, aliando técnica e raça, orgulha Araraquara. Cada um do elenco sabe a importância dessa camisa, e o senhor, Milton Mendes, é o responsável por manter esse grupo unido.

Agradecemos também pelo apoio incondicional aos torcedores, desde o início proporcionou cenas muito legais, como a de Itápolis, quando saiu do banco de reservas após a partida, embaixo de chuva, e agradeceu a nós pelo apoio após a derrota. Naquele momento, tive certeza absoluta que nos tornamos uma família, e agradeci aos céus por tê-lo no comando da nossa Ferroviária.

Obrigado, professor. Obrigado pelo futebol vistoso, pelo domínio absoluto em nosso território e pelo futebol consistente e de resultados. Obrigado à sua comissão técnica, muito bem gerida e bem preparada, e acima de tudo, consciente do que é necessário ser feito a cada partida.

Ao mestre, todo o carinho e o respeito da legião de torcedores araraquarenses. Mais uma vez obrigado por tudo, e que possamos contar com sua presença por muitos e muitos anos. O nome Milton Mendes já entrou para a história grená. Obrigado por tudo, professor.

O artilheiro do time, Alan Mineiro, também foi homenageado pela torcida com uma carta. Veja as duas cartas entregues ao técnico Milton Mendes e ao artilheiro Alan Mineiro:

A carta dos torcedores a Alan Mineiro
A carta dos torcedores a Alan Mineiro
A carta dos torcedores ao técnico Milton Mendes
A carta dos torcedores ao técnico Milton Mendes

 

O vídeo abaixo é da Federação Paulista, falando sobre o jogo que garantiu o acesso da Ferroviária:

Agradecemos ao leitor Augusto César, que nos enviou a carta dos torcedores.