Horas depois de a Premier League confirmar seu reinício para 17 de junho, foi a vez de a Serie A italiana decretar uma data para sua própria volta aos gramados: 20 de junho. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (28), depois de um encontro entre Federação Italiana (FIGC), Lega Calcio e o governo, representado pelo ministro dos Esportes, Vincenzo Spadafora.

Antes da volta da primeira divisão italiana, uma outra competição marca o retorno do futebol ao país: a Copa da Itália será retomada com confrontos de volta das semifinais em 13 ou 14 de junho. De um lado, o Napoli venceu a ida contra a Inter por 1 a 0, enquanto do outro Milan e Juventus apenas empataram em 1 a 1.

Vincenzo Spadafora afirmou depois da reunião que, ao questionar sobre o que aconteceria caso a Itália vivesse outro pico de contaminação, lhe foi garantido pela FIGC que havia planos B e C, com a transformação da disputa em playoffs ou, por fim, o congelamento da tabela no momento em que o futebol tivesse que parar.

Mais cedo nesta quinta-feira, a imprensa italiana já noticiava que o Comitê Técnico de Ciência, órgão de controle, havia aprovado o protocolo de reinício do futebol italiano. Segundo a agência de notícias ANSA, ele consiste em quarentena para um indivíduo contaminado, além de isolamento de todo o grupo em um CT durante 14 dias.

A Serie A foi paralisada devido à pandemia do novo Coronavírus em 9 de março. Quatro partidas da 25ª rodada estão atrasadas (Atalanta x Sassulo, Inter x Sampdoria, Torino x Parma e Verona x Cagliari). Além desses jogos, restam 12 rodadas completas antes do fim do campeonato.

Depois de sofrer com a lotação de leitos de hospital e ser palco de cenas marcantes no início da pandemia, a Itália hoje tem aproximadamente 48 mil casos ativos. O Brasil, em comparação, tem 226 mil casos ativos oficiais, embora a subnotificação indique que este número possa ser sete vezes maior.