O Arsenal conquistou uma vitória neste sábado que transforma o espírito de qualquer time. Os Gunners tinham uma parada duríssima no Estádio Molineux, ao visitar o Wolverhampton, acima na tabela e mais embalado na retomada da Premier League. Mas já dando sinais positivos nos jogos mais recentes, os Gunners conquistaram um triunfo valiosíssimo por 2 a 0. O golaço de Bukayo Saka referendou a renovação do garoto e abriu o caminho. Depois disso, o time de Mikel Arteta suportou a pressão dos Lobos e arrematou o resultado nos minutos finais, com Alexandre Lacazette. A classificação às copas europeias volta a surgir no horizonte.

O Wolverhampton testou o Arsenal desde o começo da partida. Os Lobos tomaram a iniciativa dentro de seu estádio e se posicionavam no campo de ataque. Adama Traoré participava bastante e logo exigiu a primeira intervenção do goleiro Emiliano Martínez, que saiu para rebater uma bola espetada ao atacante. Não era uma atuação muito agressiva dos anfitriões, que tentavam explorar as fragilidades defensivas do Arsenal – sem dar tantos sustos desta vez. Porém, os Gunners tinham dificuldades para sair ao jogo mesmo com mais posse de bola e demoraram a ameaçar os adversários.

O jogo começou a esquentar a partir dos 25 minutos, quando as finalizações se tornaram mais frequentes – nada tão perigoso, ainda assim. O Arsenal, em compensação, passou a mostrar que não se amedrontava com o controle do Wolverhampton. E o primeiro aviso veio aos 35, quando Eddie Nketiah invadiu a área e mirou o canto. Rui Patrício salvou os Lobos, desviando a bola que ainda bateu na trave. Os Gunners cresceram, até balançarem as redes aos 43. Kieran Tierney cruzou da esquerda e, após um desvio no caminho, Saka agradeceu com um chute excelente, pegando na veia. Estufou as redes sem qualquer chance a Rui Patrício. Semana positiva da promessa, que renovou seu contrato dias atrás.

Para o segundo tempo, o Wolverhampton precisava de mais atitude, e foi exatamente isso o que se viu no Molineux. Traoré seguia comandando as ações ofensivas de sua equipe e o técnico Nuno Espírito Santo reforçou seu ataque, com a entrada de Diogo Jota. Faltava aos Lobos arriscarem um pouco mais a gol, mas isso também apresentava os méritos do Arsenal, que não concedia muito espaço. Até mesmo David Luiz, tão criticado, teria algumas participações vitais para evitar o sufoco. Aos 19, quando Traoré tentou encobrir Martínez, o goleiro desviou de leve.

O Wolverhampton logo acionaria Pedro Neto, enquanto o Arsenal aos poucos renovou suas energias com as alterações. Apesar do abafa, os Gunners seguravam na unha a diferença mínima, com dose razoável de firmeza. E a alegria estaria completa com a participação dos substitutos. Joe Willock e Alexandre Lacazette saíram do banco para serem decisivos. O gol da vitória surgiu aos 41, quando o garoto serviu o francês do lado direito da área. Lacazette dominou já tirando a marcação e chutou rasteiro, para selar a festa dos londrinos. E o terceiro só não veio logo depois porque Ruben Neves tirou em cima da linha um arremate de Willock, com Rui Patrício já batido.

O Arsenal agora é o sétimo colocado, com 49 pontos, e emenda sua terceira vitória consecutiva na Premier League. As derrotas diante de Manchester City e Brighton já parecem superadas. O Wolverhampton, uma posição acima, tem 52 pontos e vê sua série de três triunfos consecutivos se encerrar. Ambos precisam manter o embalo se quiserem ir à Champions. Os Gunners, entretanto, também dependem de uma queda acentuada de rendimento dos outros concorrentes. Não parece tão provável, mas não custa sonhar.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore