Fator constante nas últimas edições da Liga MX, o equilíbrio entre os clubes sempre foi também algo marcante no futebol mexicano. Ainda que alguns clubes desgarrassem em um ou outro torneio, quase nunca os mesmos ficavam com a taça, graças ao sistema de mata-mata, que acrescenta ainda mais imprevisibilidade à competição. Um modelo que quase sempre torna a briga pelas vagas na Liguilla acirrada até as últimas rodadas da fase regular.

Quase. Por que ao contrário dos últimos anos, a edição atual da Primera División parece contar com blocos bem definidos de clubes que irão disputar os playoffs, outros que já pensam no Clausura e aqueles com foco exclusivo na briga contra a queda, ainda que esse último resuma-se à somente dois concorrentes, com dois grandes perigosamente flertando com o perigo.

Bloco

Clubes

Pontos

Vitórias

G-8 (Liguilla)

América León Toluca Santos Morelia Jaguares Cruz Azul Querétaro

Mais de 19

Mais de 5

Meio de Tabela

Puebla Tigres Veracruz Tijuana Monterrey Pachuca

Entre 11 e 15

2 ou 3

Descenso

Chivas Atlas Pumas Atlante

Menos de 8

Até 1

O grupo dos candidatos fortes ao G-8 está bem consolidado: América, León, Toluca, Santos, Morelia, Jaguares, Cruz Azul e Querétaro abriram quatro pontos de vantagem para os perseguidores mais próximos e devem monopolizar a briga pelas vagas na Liguilla. Desses, somente o primeiro, com três pontos de vantagem e dois jogos a menos que os rivais, dá pinta de que pode disparar.

A diferença entre o segundo colocado, León, e o oitavo, Querétaro, é de apenas 3 pontos. Todos exibem campanhas regulares, mas longe de serem brilhantes. É sintomático que os sete venceram ao menos uma partida nas últimas três rodadas, mas ao mesmo tempo nenhum deles emendou uma boa série de triunfos de, por exemplo, três vitórias.

No grupo dos clubes que ainda sonham com uma vaga no mata-mata, mas também começam a pensar em 2014, estão Puebla, Tigres, Veracruz, Tijuana, Monterrey e Pachuca. Ainda que alguns concorrentes tenham partidas pendentes, o que em tese aumentaria as chances de alcançar o G-8, nenhum exibe um futebol sólido e nem parece ter forças suficientes para ameaçar os de cima.

Nesse grupo aparecem algumas equipes de peso, nas quais muito se apostava no início da temporada, e até mesmo clubes do norte que recém conquistaram a taça, como Monterrey, Tigres e Tijuana. São clubes fortes, com bons elencos, mas que ainda procuram um norte para voltar à boa fase. As exceções são Veracruz, que teve um começo avassalador, mas já emenda uma série de oito partidas sem vencer, Puebla e Pachuca, que ainda carecem de maior qualidade e devem ocupar por um bom tempo o meio de tabela.

No último grupo estão os mais ameaçados pela queda. Não à toa, o sistema de descenso que leva em consideração a média de pontos das três últimas temporadas parece refletir na situação atual do Apertura. Atlas e Atlante duelam contra o rebaixamento já nessa temporada, enquanto os grandes Pumas e, principalmente, Chivas de Guadalajara, já veem a ameaça crescer para 2014/15 graças à péssima fase atual.

Uma briga que até teria maior potencial para emoções não fosse o baixo nível técnico e tático do Atlante, que tem apenas uma vitória, a pior defesa, ocupa a lanterna do Apertura e foi capaz de sofrer a maior goleada do campeonato na rodada do fim de semana, 7×1 contra o Toluca, evidenciando o abismo em relação aos adversários, que deve condenar os Potros à Liga de Ascenso na próxima temporada. Já são dez pontos de distância para o rival mais próximo e, em que pese o fato de haver mais um torneio Clausura inteiro para a diferença ser tirada, os Azulgranas não obtiveram essa diferença para nenhum clube nas últimas 5 edições da Liga MX. E nada parece indicar que o fará na situação atual.

Há ainda uma boa dose de emoções reservadas ao campeonato mexicano nas próximas rodadas, reservadas principalmente para os principais clássicos aztecas. E, ainda que seja complicado fazer previsões levando em consideração que faltam cinco jogos e 15 pontos em disputa, será difícil contarmos com arrancadas fulminantes ou quedas bruscas. Com uma ou outra mudança na tabela, a Liga MX caminha para um mata-mata tradicionalmente cheio de emoções e reviravoltas. Algo que ficou distante da fase regular atual.

Curtas

– Seleção do site Mediotiempo da 12ª rodada do Apertura: Miguel Pinto (Atlas), Óscar Rojas (Puebla), Aquivaldo Mosquera (América), Darío Verón (Pumas UNAM) e Julio César Domínguez (Cruz Azul); Isaác Brizuela (Toluca), Diego de La Torre (Querétaro), David Toledo (Jaguares) e Rubens Sambueza (América); Raúl Nava (Toluca) e Oribe Peralta (Santos); T: Jose Luis Trejo (Pumas UNAM); 

Costa Rica

– Um empate sem gols em visita ao Cartaginés manteve o Saprissa na liderança do Campeonato de Invierno, com 22 pontos em 10 partidas. Enquanto isso, os rivais venceram seus duelos e aproximaram-se dos ponteiros. A Alajuelense bateu o Pérez Zeledón, enquanto o Herediano superou o Carmelita. Ambos somam 20 pontos, mas o clube de Heredia tem um jogo a menos que os rivais;

Guatemala

– Em visita ao Mictlán, o Comunicaciones obteve seu sétimo triunfo na Liga Nacional e segue no topo do Apertura, com 22 pontos em 9 jogos. Somando uma partida a mais que o rival, o Municipal é o vice-líder, com 20 pontos, após aplicar a maior goleada do torneio até aqui na rodada do fim de semana, humilhando o Universidad SC com um inapelável 6×0. Com um empate frente ao Coatepeque, o Heredia ocupa o terceiro lugar, com 17 pontos;

El Salvador

– Com vitórias dos três primeiros colocados na rodada, os líderes desgarraram na liderança da Liga Mayor. Alianza e Atlético Marte triunfaram sobre UES e Dragons, respectivamente, e seguem na ponta, com 20 pontos em 10 partidas, enquanto o FAS superou o Juventud Independiente e tem 19. Derrotado pelo Santa Tecla, o Isidro Metapán é o 4º, enquanto Águila e Luis Ángel Firpo não passaram de um empate no Derbi Oriental e ocupam o sexto e o nono lugar do Apertura;

Honduras

– Um bom triunfo sobre o líder Olimpia devolveu o Real Sociedad à briga pelo topo da Liga Nacional. A “Realeza” soma agora 18 pontos, apenas um a menos que os Albos, em 9 jogos. O Real España empatou com o Vida e é o terceiro, com 14. Quem também empatou na rodada foi o Motagua, que recebeu o Platense e ocupa a 6ª posição, com 12 pontos. Já o Marathón obteve sua segunda vitória no Apertura, sobre o Parrillas One, e subiu para a 8ª colocação, com 9 pontos;

Panamá

– Com um triunfo sobre o lanterna Río Abajo, o San Francisco disparou na ponta do Apertura da Liga Panamenha, com 25 pontos em 12 partidas. Vice-líder, o Independiente não passou de um empate frente ao Chorrillo e soma 21 pontos, perseguido de perto pelo Tauro, com 20, que bateu o Alianza na rodada. Atual campeão, o Sporting San Miguelito ocupa a modesta 8ª posição, com 13 pontos, ao lado do Árabe Unido, que não passou de um empate contra o Alianza no fim de semana e segue em má fase na Copa Digicel;

Haiti

– Com uma vitória sobre o Baltimore, o atual campeão Valencia chegou aos 15 pontos e pôs fim às pretensões de título do adversário, que estacionou nos 9 pontos. O clube ainda foi beneficiado pelo empate sem gols entre Mirebalais e Racing Club Haïtien. Faltando duas rodadas para o fim do hexagonal decisivo, Mirebalais (16 pontos), Valencia (15) e RC Haïtien (15) prometem uma disputa acirrada pela taça, enquanto Baltimore (9), Petit-Goâve (5 pontos) e Aigle Noir (2) já pensam na próxima temporada;

– Na briga contra a queda, América des Cayes e Victory empataram contra FICA e Don Bosco, respectivamente, e seguem na berlinda. Faltando apenas dois jogos, todos os clubes ainda têm chances de rebaixamento, mas Don Bosco (12 pontos), FICA (12), Tempête (11) e Cavaly (11) se salvariam da queda atualmente, enquanto América des Cayes (9) e Victory (8) seriam os relegados na Liga Haitiana;

Nicarágua

– Com uma vitória fácil sobre o Chinandega, o Real Estelí segue tranquilo na ponta da Liga Nacional, com 24 pontos em 9 jogos. Dono do melhor ataque e da melhor defesa, o atual tetracampeão nacional tem dois jogos a menos que os rivais e quatro pontos de vantagem para o vice-líder, Walter Ferretti, que bateu o Real Madriz na rodada. Maior campeão nacional, o Diriangén superou o Jalapa e alcançou o terceiro lugar, com 19 pontos.