Troy Deeney é um dos personagens mais autênticos da Premier League. O atacante do Watford possui a sua trajetória singular no clube, mas também sabe de sua representatividade como jogador de futebol e costuma conceder entrevistas ímpares por sua sinceridade. Recentemente, porém, a franqueza do inglês o deixou em maus lençóis. Após o empate por 3 a 3 contra o Bournemouth, Deeney reclamou abertamente do árbitro David Coote. Segundo o capitão dos Hornets, o juiz se eximiu de tomar decisões importantes na partida, apontando que isso prejudicou ambos os times – e declarando que os seus oponentes também possuíam queixas justas. Por isso, acabou indicado pela Football Association e recebeu uma multa de £20 mil.

O maior problema, na avaliação da federação, foi um “termo impróprio” que “questionou a integridade” de Coote e teria sido “pessoalmente ofensivo”. Deeney usou a expressão “bottled it” , indicando que o árbitro perdeu a coragem no último momento e desistiu de algo que ele tinha a intenção de fazer – no caso, uma expulsão para cada lado e um pênalti negado à sua equipe. Assim, as autoridades decidiram aplicar a punição um tanto quanto discutível ao atacante do Watford.

Deeney, ao menos, não se calou. Dias depois da decisão, se manifestou sobre o ocorrido e sobre a liberdade de expressão. Declarou que não usou uma expressão desrespeitosa, mas apenas falou o que achou sobre a atitude de Coote em relação a ambas as equipes. Além do mais, deu uma sugestão interessante de abertura entre atletas e árbitros para que discutam seus posicionamentos em campo. Visões que poderiam contribuir com melhorias ao futebol, não apenas na Inglaterra.

“Estou um pouco mais leve agora. É um bom momento para deixar claro que eu não quis desrespeitar o árbitro por aquilo que disse – eu estava me referindo à forma que vi. E estava claro que eu achava que nós deveríamos ficar em pior situação por causa de algumas decisões, não apenas o outro time, como vocês tantas vezes ouvem treinadores e jogadores dizendo. Eu me frustro porque gosto de ser o mais franco possível”, afirmou Deeney.

“Depois de um empate ou de uma derrota, não há nada pior que jogadores entrando nas redes sociais e enviando uma foto fútil com uma mensagem sobre como os torcedores foram ótimos e como voltarão a dar seu máximo na próxima semana. Acho que podemos dar isso como certo quando se trata dos desafios do futebol profissional. Mas seria ótimo se existissem mais oportunidades para os jogadores e os árbitros se juntarem aos técnicos, dando uma revisão completa sobre o que aconteceu em campo, sem a ameaça de ser castigado por dizer algo que possa ir contra as normas aceitas”, complementou.

O atacante também discutiu a abertura que se faz aos atletas nos microfones: “As emissoras sempre deixam claro para nós, quando têm a chance de conversar longe dos microfones, que esperam por algo diferente nas declarações. Espero poder sempre encontrar uma oportunidade para ser aberto com meus pensamentos, porque temos deveres com todos que estão assistindo, para dar uma avaliação decente do que eles estão pagando para ver. Então, eu aprendi minha lição. Irá acontecer novamente? Talvez um dia. Mas, como desta vez, não serei malicioso, deliberado ou desrespeitoso em minha visão”.