Decisivo no Clássico dos Clássicos, Juninho vem voando e pedindo passagem no Sport

O garoto de 18 anos fez dois gols nos minutos finais do clássico contra o Náutico e decretou a vitória do Sport

Juninho foi o nome da tarde deste domingo na Ilha do Retiro. Com dois gols, incluindo o que decretou a vitória do Sport sobre o Náutico no jogo de ida da semifinal do Campeonato Pernambucano, o atacante de 18 anos pediu passagem no time titular de Ney Franco novamente. Foi a segunda vez consecutiva que o jovem decidiu uma partida para o Leão da Ilha. Mesmo com pouca idade e ainda sendo uma promessa, ele vem mostrando que adoraria desfrutar da titularidade. Seja na vaga de André, em mau momento, ou com o técnico o encaixando em outra posição. Juninho está com o sangue em ebulição e vem voando alto no Sport com um aproveitamento magnífico, como o visto ontem no Clássico dos Clássicos.

VEJA TAMBÉM: Diego Souza não se cansa de arrebentar: assistência de bicicleta e gol de voleio

Em cinco partidas, Juninho balançou as redes cinco vezes. Duas delas só na primeira semifinal do estadual, e no apagar das luzes. O Alvirrubro saiu na frente com Marco Antônio, que anotou um gol no finzinho do primeiro tempo. Diego Souza, em fase espetacular e somando seu nono gol no ano, deixou tudo igual na Ilha, no início da segunda etapa. Depois do tento de empate, o Sport diminuiu o ritmo, mesmo faltando muito tempo ainda para o apito final e com o placar de 1 a 1. Isso fez com que o Náutico crescesse para cima do Leão e voltasse a ficar com o resultado nas mãos, com Anselmo balançando a rede quando o relógio marcava 19 minutos.

Demorou pouquíssimo tempo a partir do segundo gol do Timbu até que Ney Franco decidisse fazer a substituição que influenciaria em todo o sentido da partida. Juninho foi acionado e entrou no lugar de André, que estava perdendo muitas chances boas de gol. O camisa 37 entrou bem, mas só fez a bola encontrar o fundo da rede literalmente no fim do tempo regulamentar. Com a visão, a frieza e a habilidade de um veterano, o garoto apareceu na área como um raio entre dois marcadores e, após a bola sair dos pés de Rogério em um levantamento, Juninho a cabeceou para enlouquecer os rubro-negros presentes na Ilha, em frente à televisão e com o radinho no ouvido.

Não contente com o empate heroico no apagar das luzes, ele fez valer os minutos indicados na placa de acréscimos dois minutos após fazer o 2 a 2. O mais impressionante é que se fosse outro jovem jogador, provavelmente deixaria ser levado pela excitação do tento de empate e não teria a cabeça no lugar para tentar a virada, ainda que a pressão fosse do Sport nos minutos finais. Mas é por isso que Juninho é justamente chamado de ‘talismã’. O garoto guardou o resto do entusiasmo para depois do apito final, para depois que a bola sobrou para ele na área após uma cobrança de escanteio e ele a colocou no fundo do gol.

Em pouco mais de 20 minutos em campo, Juninho clamou por uma vaga no time titular do Sport virando o placar para a equipe da casa nos acréscimos, para o Leão visitar o Náutico na próxima semana um pouco mais tranquilo, com um gol de vantagem. Apesar do garoto ter personalidade e demonstrar ser maduro com a bola nos pés, ele ainda precisa de tempo para crescer como atleta e até como jogador. Contra o Joinville, pela Copa do Brasil, Juninho comemorou o gol da vitória atirando a camisa rubro-negra no chão, em um ato inconsequente no calor do momento. Na entrevista pós-jogo, ele deixou ainda mais evidente sua imaturidade e ingenuidade, o que é natural vindo de um jovem de 18 anos e se desenvolverá com o tempo.

Tempo, aliás, talvez seja a palavra-chave para se relacionar a Juninho. Sua titularidade é discutível e envolve muitas questões, e dar tempo ao tempo pode ser a melhor opção por ora. Ainda que André esteja em uma fase não muito feliz, ele é um jogador muito importante técnica e taticamente para o Sport. Mas, ao mesmo tempo, os gols que ele anda desperdiçando podem fazer muita falta neste momento de decisão para o Leão da Ilha, que disputa a semifinal do Campeonato Pernambucano com o Náutico e, depois, tentará uma vaga na final da Copa do Nordeste contra o Santa Cruz.

Juninho tem entrado muito bem nos jogos e já caiu nas graças da torcida rubro-negra, que o tem como xodó, mas ainda está em processo de preparação, como Ney Franco bem colocou em entrevista concedida após o jogo. Há também a possibilidade de realocar o garoto dentro de campo, o que não seria tão bom porque ele acabaria perdendo características importantes com a mudança de posição. Enfim, são questões incongruentes que passam por merecimento, amadurecimento e momento. Seja lá qual for a escolha do técnico, para o Sport é ótimo que esse ritmo do jogador seja preservado.