A cúpula do Bayern de Munique está em transformação. O presidente Uli Hoeness foi substituído pelo ex-executivo da Adidas, Herbert Hainer, em novembro, e agora a sucessão do CEO, Karl-Heinz Rummenigge, começou a ser encaminhada. O que havia sido anunciado tornou-se realidade: Oliver Kahn foi apresentado oficialmente como membro do conselho e começa a se preparar para se tornar o chefão do clube bávaro a partir do primeiro dia de 2022.

Hainer explicou que um perfil foi construído para chegar ao nome do sucessor de Rummenigge: “Ele precisa entender de futebol, precisa ter o gene do Bayern e precisa entender sobre negócios. Chegamos à conclusão que Oliver Kahn tem todas essas coisas. Ele vive e incorpora o Bayern como ninguém. Ele é o homem certo para o trabalho”. Ele trabalhará próximo de Rummenigge nos próximos dois anos para aprender os meandros da administração de um clube como o Bayern.

“Meus 14 anos no Bayern de Munique foram maravilhosos. Você nunca esquece ou deixa este clube. É um desafio especial continuar moldando o sucesso e a história deste clube. Não tive que pensar muito nisso. Este é um trabalho de amor para mim. Há muito coração e muita alma envolvidos”, disse Kahn. “Conversei com várias pessoas nas últimas semanas e meses do ano para ter uma ideia das coisas, mas não quis fazer muito isso porque acho importante ter uma abordagem imparcial”.

“Desenhamos um plano claro e firme para os próximos meses, que me dará a chance de ter a melhor visão geral das atividades do clube e de várias áreas. Não é apenas sobre a parte esportiva da coisa, mas todo o projeto. É por isso que é chave ter uma visão de todas as áreas”, disse, sublinhando que sempre se interessou pela parte econômica do futebol quando era jogador. “Depois, eu estudei, mas a prática é também decisiva. Eu tive uma ou duas empresas e aprendi muito no processo”, completou.

Quando era um dos líderes do Bayern, Kahn era famoso por ter um temperamento intempestivo que nem sempre combina com quem tem responsabilidade de tomar as decisões. “Foi importante para mim como jogador. No entanto, fiz outras coisas empreendedoras desde então. A emoção não ajuda tanto nelas. Então, não vou dar carrinho na sala de reuniões como fazia nos gramados”, prometeu.

Kahn afirmou que trabalhou o “lado analítico” como comentarista da emissora ZDF e dará muita atenção às categorias de base do Bayern de Munique, para que o clube consiga manter uma espinha dorsal alemã, mas que também se identifique com os bávaros. O único realmente formado em casa que vem jogando regularmente nos últimos anos no time principal é Thomas Müller. “Um dos tópicos mais importantes do Bayern é todo o departamento de jovens. Estabelecemos metas para nos mantermos no topo no futuro e já estamos vendo os primeiros sinais de que estamos indo bem, colocando jovens jogadores ao time titular. O setor esportivo está no caminho certo nesse sentido”, disse.

Sobre transferências, Kahn afirmou que Hasan Salihamidzic é o responsável pelo lado esportivo da administração, mas que “todos têm um papel a desempenhar na tomada de decisão”, e elogiou a futura chegada do goleiro Alexander Nübel. “Foi uma decisão sábia e estratégica. Ele deixou claro que está preparado para ficar na fila e aprender com Manuel Neuer, cujas qualidades não precisam ser discutidas. Quando você é novo como eu, pode abordar as coisas de uma maneira relaxada e conversar com as pessoas envolvidas. E, então, ver como lidar com o tópico em paz e tranquilidade. No momento, isso não é um problema”, afirmou.

Embora esteja se preparando para o futuro, Kahn já tem um olho no presente. Quatro pontos atrás do RB Leipzig na tabela da Bundesliga, o octacampeonato alemão é a prioridade. “Não queremos abrir mão do título nesta temporada. Não preciso dizer que sete títulos consecutivos são incríveis. Os jogadores ainda não percebem isso, mas é basicamente algo para entrar na história. Oito vezes também seria. Então acho que todos estão muito motivados para serem campeões da Alemanha novamente. E nosso desempenho na Champions League foi fantástico. O time precisa chegar à segunda metade da temporada com a abordagem de que, como sempre para o Bayern de Munique, tudo é possível”, disse.

“Quando você olha para o desenvolvimento deste clube nos últimos anos, está claro que queremos ser o número um em tudo que estivermos envolvidos. Uma coisa está sempre em primeiro plano: fazemos tudo para dar a nossos torcedores um excelente futebol – futebol de elite, de primeiro mundo – e tentar ser o número um em todas as áreas. É isso que temos em mente. É isso que o Bayern busca fazer”, completou.