A Roma precisa acreditar em uma nova virada. Os 5 a 2 sofridos contra o Liverpool em Anfield Road foram duros, mas o time mostrou um sinal de reação, ainda que tardio. Por isso, o capitão da Roma, Daniele De Rossi, disse que o time acredita, assim como seus torcedores, que é possível reverter o resultado e ainda chegar à final da Champions League.

LEIA TAMBÉM: A noite de sonho em Anfield podia ter definido a classificação do Liverpool, mas a Roma sobreviveu

De Rossi comentou sobre Salah, ex-companheiro de Roma, e que foi crucial na vitória do Liverpool. “Nós sabíamos que Salah é um grande jogador e também uma grande pessoa. Eu estou feliz por ele, mesmo que tenha nos custado. Ele melhorou muito no último terço do campo e está se tornando decisivo, assim como todos nós pensamos que ele poderia ser”, afirmou o meio-campista da Roma à Mediaset Premium.

Um dos grandes motivos para o time acreditar na virada contra o Liverpool é justamente o que aconteceu no confronto anterior desta mesma competição. “Nós podemos nos apegar ao que já fizemos nas quartas de final, o que certamente nos diz que é possível. É nosso dever acreditar e tentar, para nós e, acima de tudo, para as pessoas que amam a Roma”, analisou o capitão romanista.

A situação é bem semelhante ao que a Roma viveu contra o Barcelona, ao menos em termos de diferença de gols, mas para De Rossi, há diferenças nas situações em termos de desempenho. “A única diferença é que contra o Barcelona eu vi um jogo que foi azarado, com muitos incidentes duvidosos. Aqui nós começamos forte, mas então sofremos com a velocidade e a ferocidade dos ataques deles. Nós temos que aproveitar essas lições para o jogo de volta”, disse.

“Nós sentimos no Camp Nou que estamos bem e que certamente poderíamos derrota-los. Aqui, nós tivemos um blackout total… Nós ainda precisamos de três gols, o Liverpool é o do mesmo nível do Barcelona, então sabemos que é possível. Pode ser feito e nós fizemos isso antes”, analisou o jogador. “Nós sabemos que os nossos torcedores acreditam, nós temos que dar a eles outra noite como a que eles tiveram contra o Barcelona”.

Uma das perguntas feitas a De Rossi foi sobre a escolha de jogar com três zagueiros. Houve muitas críticas que a formação prejudicou o time, taticamente. “Sem ter assistido o jogo de novo, seria errado dar uma visão tática do que aconteceu. O Liverpool é forte, não nos esqueçamos, e eles jogaram muito bem, mas nós tivemos 20 a 25 minutos bons no começo”, contou De Rossi.

“Eles constantemente usaram a bola longa, de qualquer área do campo, e é difícil cobrir esse espaço quando há jogadores que são mais rápidos que você. Nós tivemos a sensação que eles passaram por cima do meio-campo completamente, então nós não conseguimos interceptar a bola”, analisou.

“Não estamos mortos”

“Nós perdemos nosso caminho depois da primeira meia hora de jogo nós estávamos praticamente mortos, mas eles não mataram completamente. Com coração, coragem e orgulho, conseguimos reabrir uma disputa que parecia terminada”, afirmou Alessandro Florenzi.

“Será difícil, mas há ainda 90 minutos para jogar em frente aos nossos torcedores e nós tentaremos atingir algo importante. Nós vimos que a defesa deles sofreu assim que começamos a colocar a bola atrás deles, mas nós temos que fazer muito melhor defensivamente. É uma perna que nós não jogamos como um time em certo ponto e nós ficamos quase com medo dos nossos adversários, o que nunca acontece”, analisou ainda o jogador da Roma.

“Nós estudamos o Liverpool com cuidado, então nós sabíamos tudo sobre eles, das bolas longas aos metros que eles poderiam correr e com a bola nos pés de Virgil van Dijk e Dejan Lovren. Infelizmente, nós acabamos perdendo o rumo”, continuou Florenzi.

“Sabemos que será mais difícil que contra o Barcelona, já que o Liverpool tem características diferentes, mas nós devemos tentar fazer uma grande partida e jogar com uma faca nos dentes. Nós não teremos arrependimentos”, disse. “Eu posso prometer aos torcedores que nós cuspiremos sangue por essa camisa e jogaremos de forma muito diferente na próxima semana”.

A Roma receberá o Liverpool no estádio Olímpico na próxima quarta-feira, dia 2 de maio, às 15h45 (horário de Brasília). O time precisa, novamente, de uma vitória por 3 a 0 para ir à final da Champions League. Se vencer por 4 a 1, avança pelos gols marcados fora de casa. Se vencer por 5 a 2, a disputa vai para a prorrogação. Qualquer vitória por mais de três gols de diferença classifica a Roma. Entretanto, vitória por dois gols de diferença ou menos fará o Liverpool avançar.