O casamento entre De Rossi e Boca Juniors será muito interessante de acompanhar. O volante italiano vive o futebol de uma maneira tão intensa quanto a torcida do clube argentino. E esse foi um dos motivos que levou o ídolo da Roma a aceitar o convite do ex-companheiro Nicolás Burdisso.

“Terei que dizer ao fim da experiência o que vivi”, disse, em sua entrevista coletiva de apresentação. “É uma contínua confirmação de que este pode ser um lugar apto para trabalhar. Não quero que me contem de estruturas de ficção científica, quero jogar futebol. Me permitiram fazê-lo de uma determinada maneira em um ambiente que me estimula porque é assim que vivo o futebol. O futebol me devora. Não quero um lugar que me apague. Vivo futebol 24 horas por dia. Farei tudo para que me dê bem, mas esta lição me fará melhor como pessoa. Escolhi vir a um país com as pessoas mais loucas por futebol”.

E um exemplo disso foi sua recepção no aeroporto. “Foi incrível, eram seis da manhã. Não posso agradecer de outra maneira que não seja fazer meu trabalho com seriedade. Me dá responsabilidade e quero demonstrar que todos fizemos uma boa escolha”, disse. “Eu vivi duas décadas em um ambiente de loucos. Poderia ter escolhido algo que me relaxasse, mas conheço apenas um caminho. O da seriedade”.

De Rossi confirmou que a influência de Burdisso foi essencial para que ele acertasse com o Boca Juniors e depositou muita confiança no ex-defensor. “Ele me contou muitas coisas sobre o Boca. Outras eu sabia desde jovem, estudando este clube. É muito sério e mais organizado do que se podia pensar”, disse.

“Não sei quando ele me fez a primeira proposta. Depois que saiu a notícia (de que sairia da Roma), começamos a conversar e vi que ele tinha a intenção de me trazer. Em seguida, disse que tinha que pensar porque tenho 36 anos. Mudar, e mudar tanto, poderia me assustar, tanto eu, quanto a minha família. Prevaleceu minha vontade de jogar futebol. E eu acredito que Burdisso não me ofereceria um lugar sem estar seguro de que eu estaria bem”, disse.

O interesse de De Rossi pelo Boca Juniors começou com Diego Maradona. “Quando comecei a seguir o Boca, qualquer jogador se inspirava em Maradona. Quando comecei a compreender alguma coisa de futebol, vi seus melhores anos. Não posso não me apaixonar por um jogador como ele. Há uma loucura por trás deste time, um amor muito forte”, afirmou.

O italiano calcula que precisará de aproximadamente dez dias para estar em forma. “Eu treinei quase dois meses. Uma coisa é treinar sozinho e correr duas horas como um louco, outra é jogar com os companheiros. A decisão é do treinador, que tem a obrigação de pensar na equipe antes de mim”, afirmou.

“Meus objetivos são os mesmos do Boca. O objetivo do Boca é ganhar a Libertadores, o campeonato. Do que escutei, é ganhar tudo. Quero dar minha contribuição. Espero que na quarta-feira (contra o Athletico Paranaense, pelas oitavas de final da, tudo dê certo e estou convencido de que a equipe jogará bem”, encerrou.