De olho na volta da Bundesliga, Colônia segue treinamentos mesmo após três jogadores testarem positivo para a Covid-19

Muita incerteza gira em torno do retorno do futebol, e uma das principais indefinições é o protocolo a ser adotado caso haja jogadores infectados em uma liga. Inglaterra, Itália e Espanha, por exemplo, ainda não determinaram o que seria feito, mas a Alemanha está abrindo um precedente arriscado. Seguindo o protocolo estabelecido para um retorno previsto possivelmente no meio do mês de maio, o Colônia prosseguiu seus treinamentos mesmo após anunciar que três de seus jogadores testaram positivo para a Covid-19.

[foo_related_posts]

A informação foi revelada pelo clube na sexta-feira (1), mas os nomes dos jogadores não foram divulgados, de forma a proteger sua privacidade. Em comunicado, o Colônia afirmou que, “depois de três testes positivos, três pessoas do clube estão agora em quarentena”. Segundo o time alemão, todo o elenco e a comissão técnica foram testados na quinta-feira (30).

O protocolo da Bundesliga estabelece apenas que o jogador e seus contatos mais diretos, como pessoas com que mora, sejam postos em quarentena em caso de infecção, permitindo que os treinamentos do restante do elenco continuem. As equipes alemãs retomaram os treinos em abril, respeitando medidas de higiene e de distância entre os atletas.

“Eles e todas as pessoas que se encaixam na definição do Instituto Robert Koch como Pessoa de Contato Categoria 1 entraram em uma quarentena de duas semanas. Ou seja, todas as pessoas com alto risco de infecção por morarem na mesma casa. Isso também poderia significar que elas estiveram em contato direto com fluidos corporais das pessoas afetadas, em um período de aproximadamente 15 minutos, em uma conversa direta sem o distanciamento social necessário”, definiu o médico do clube, Paul Klein.

O protocolo, portanto, não considera necessariamente que o restante do elenco ou da comissão técnica precisam ser postos em quarentena, o que afetaria a continuidade de uma equipe na competição.

Como dito acima, outras das grandes ligas com a temporada ainda em aberto não definiram seus próprios protocolos para lidar com jogadores infectados. Muita gente envolvida nas discussões considera que um só jogador infectado tiraria todo um clube da disputa, enquanto outros veem uma infecção entre atletas como motivo para parar todo o campeonato. A Bundesliga pode, portanto, abrir um precedente diferente – bom para quem quer ver o futebol rolando, mas potencialmente perigoso para os atores envolvidos no espetáculo.