Matthijs de Ligt se tornou um enigma no coração da defesa da Juventus. A qualidade do zagueiro holandês é indubitável, comprovada ao longo da temporada passada, especialmente com a camisa do Ajax. No entanto, o jovem parece um ponto fraco na zaga bianconera desde a transferência para Turim. Alçado à equipe titular, especialmente por conta da lesão de Giorgio Chiellini, o novato não transmite total confiança. E ele próprio admite como a adaptação no novo ambiente vem sendo difícil, embora acredite em sua melhora gradual.

“No Ajax, eu tinha um senso de invencibilidade. Agora, eu sinto menos isso, mas é natural. Eu tenho um pouco menos de confiança em relação à temporada passada. Estou em um clube novo, com um novo estilo de jogo e novos companheiros. Para mim, tudo isso é novo. É menos familiar que no Ajax, mas estou melhorando”, declarou De Ligt, nesta semana.

Um dos questionamentos sobre o zagueiro é sua lentidão. Ele tem sofrido neste sentido, com dificuldades para recompor a defesa da Juventus. Além do mais, suas falhas se tornaram mais costumeiras, inclusive na seleção holandesa. Recuperar a confiança será um passo fundamental para reexibir o futebol firme e de muita liderança, que o alçou como protagonista na histórica campanha vivida pelo Ajax na última temporada.

“Ainda não estou no meu melhor nível, eu sei disso. Quanto mais eu jogo, mais eu me aproximo disso. O que posso fazer é continuar trabalhando duro, fazendo o meu melhor e aprendendo com meus colegas de equipe”, comentou. A sequência de partidas é algo que pode ajudá-lo. A Juventus terá compromissos um pouco mais tranquilos nas próximas semanas, até que o ritmo volte a se elevar em novembro. É preciso ter consciência de que, apesar da fortuna gasta, o defensor de 20 anos não é um jogador pronto e será natural viver momentos reticentes.

A seu favor, De Ligt ao menos conta com uma boa estatística: ainda não perdeu na temporada. Apesar da apresentação ruim que fez no clássico contra a Internazionale, viu os companheiros segurarem as pontas em busca da vitória. “Eu ainda não perdi com a Juventus e com a seleção da Holanda nesta temporada. Estou feliz por isso”, complementou.

Na ausência de Chiellini, Leonardo Bonucci é o parceiro costumeiro de De Ligt e tem melhorado o seu jogo em relação à temporada passada. Já na reserva, aparecem Daniele Rugani e Merih Demiral. O turco, aliás, parece uma boa alternativa à equipe quando necessário. Teve grandes atuações na última Data Fifa, em especial contra a França. Não é um jogador tão técnico quanto o holandês, mas compensa por sua raça. Pode ser mais um nome ao futuro da Velha Senhora nesta renovação gradual de sua defesa.