Foi Sir Alex Ferguson quem contratou David de Gea para ser o sucessor de Edwin van der Saar e confiou nele nos primeiros meses, quando o espanhol ainda parecia muito instável. Entre todas suas ótimas decisões à frente do Manchester United, esta foi uma das mais acertadas, pois De Gea cresceu para ser um dos melhores goleiros do mundo, capaz de salvar pontos quase sozinho para sua equipe. Nada mais justo que ele guardasse uma boa atuação para agradar o ex-chefe, neste sábado, no empate por 1 a 1 com o Wolverhampton, o retorno de Ferguson a Old Trafford pela primeira vez desde a sua cirurgia. 

Em maio, os torcedores do Manchester United e do mundo inteiro ficaram apreensivos com a notícia de que Ferguson, 76 anos, havia sido internado para uma cirurgia de emergência para solucionar uma hemorragia no cérebro que tantos títulos deu aos Red Devils. Ferguson recuperou-se rapidamente e estreou nesta temporada na partida contra o Wolverhampton. Anunciado como “uma das maiores figuras da história do clube”, foi ovacionado pela torcida enquanto se dirigia ao seu assento na tribuna dos diretores. 

“Deve ser emocionante”, disse Ferguson, à MUTV, antes do jogo. “Particularmente quando eu sentar na tribuna. Vou ficar feliz quando terminar e o jogo começar e eu puder aproveitá-lo. Obviamente, tem sido uma longa jornada, mas estou evoluindo, fazendo o que meus filhos me mandam fazer e o que os médicos mandam. Meu último jogo foi em abril, contra o Arsenal. Faz tempo, mas é ótimo estar de volta e espero que vençamos”. 

Mas, dessa vez, o Manchester United não conseguiu entregar os três pontos a Ferguson, que ganhou 528 jogos de Premier League pelo clube, em 810 partidas. De Gea precisou trabalhar duas vezes nos primeiros minutos. Jiménez recebeu dentro da área, girou e bateu rasteiro. O goleiro tirou com os pés. Em escanteio, Willy Bolly cabeceou à queima-roupa, e De Gea fez uma grande defesa. 

O belo passe de Pogba encontrou Fred na entrada da área, perfeito para o brasileiro marcar seu primeiro gol com a camisa do United. No segundo tempo, João Moutinho completou a transição rápida do Wolverhampton para empatar. Os donos da casa criaram algumas chances para vencer, em cabeçadas de Lukaku e Fellaini, mas a primeira foi realizada em posição de impedimento, e a segunda, defendida por Rui Patrício. 

Nos minutos finais, De Gea ainda salvou um chute cruzado de Traoré com os pés, para fechar mais uma grande atuação pelo United e evitar que Ferguson sentisse o sabor da derrota em um dia especial. 

.