Kevin de Bruyne já havia recebido o prêmio oficial da Premier League, eleito o melhor jogador da temporada 2019/20. E o meio-campista “unificou os cinturões”, ao levar também a condecoração da PFA, a associação de jogadores profissionais. Na premiação mais tradicional do Campeonato Inglês, os próprios atletas da Football League votam em seu favorito. Pois o talento do belga falou mais alto, mesmo sem faturar o título nacional com o Manchester City. Derrotou Jordan Henderson, seu principal concorrente entre os seis finalistas e ganhador na FWA, a associação de cronistas esportivos.

Esta é a primeira vez que um jogador do Manchester City leva o prêmio oferecido pela PFA. Vincent Kompany e Raheem Sterling já tinham vencido os outros troféus, mas o mais tradicional não havia caído nas mãos de um jogador do clube. De Bruyne quebra o tabu com todos os méritos. Apesar do alto nível durante os últimos anos, esta pode ser considerada a maior temporada da carreira do belga. Jogou o fino, contribuindo com 13 gols e 20 assistências na campanha dos celestes rumo ao vice-campeonato.

“Essa é uma grande honra: ser votado por seus colegas, os competidores de outros times que te enfrentam dentro de campo. São eles que votam em você como melhor jogador, o que é fantástico. Talvez seja estranho me tornar o primeiro jogador do Manchester City a receber este troféu, considerando todos os bons atletas que passaram por aqui antes e que seguem no elenco. Mas é bacana representar o clube”, declarou De Bruyne. A premiação da PFA foi criada em 1973/74. Antes disso, quando apenas a FWA tinha seu prêmio, três atletas dos Citizens levaram: Don Revie (1955), Bert Trautmann (1956) e Tony Brook (1969).

De Bruyne fez uma dedicatória especial a Pep Guardiola, apontando a responsabilidade do treinador pela sua forma de atuar: “Pep me dá muita liberdade. Não sei o motivo, apenas que nos damos muito bem. Ele sabe que eu sempre coloco o time à frente de tudo e se eu puder ajudar, sempre o farei. Ele acredita em mim completamente. Guardiola me permite ser eu mesmo”. Curiosamente, durante o bicampeonato recente do City, dois jogadores do Liverpool foram escolhidos pela PFA: Mohamed Salah e Virgil van Dijk.

Nesta temporada, Trent Alexander-Arnold foi eleito o melhor jovem da Premier League. Já no feminino, o prêmio de melhor jogadora ficou com Beth England, do Chelsea, e o de melhor jovem, com Lauren Hemp, do City. E houve uma menção especial a Marcus Rashford, ganhando um prêmio por suas ações sociais em prol das crianças carentes. A PFA ainda elegeu a seleção de melhores da temporada. Foi formada na Premier League por: Nick Pope, Trent Alexander-Arnold, Virgil van Dijk, Çaglar Söyüncü e Andy Robertson; Jordan Henderson, Kevin de Bruyne e David Silva; Pierre-Emerick Aubameyang, Jamie Vardy e Sadio Mané.