Ser grande na Champions League significa bater de frente com os grandes times do torneio. O Manchester City vem batendo na trave para dar o passo seguinte, mesmo jogando um grande futebol ao longo das últimas temporada. Nesta quarta-feira, o Manchester City sofreu, sim, mas mostrou bola para arrancar uma virada dura, mas saborosa aos seus torcedores. Jogando no Santiago Bernabéu, o time saiu perdendo para o maior campeão da Europa, o Real Madrid, já no segundo tempo. Só que o jogou virou de ponta cabeça na reta final e, com uma atuação magistral de Kevin De Bruyne, conseguiu uma vitória de virada enorme, por tudo que significa. Sai com um 2 a 1 que leva para a Inglaterra e deu um grande passo rumo às quartas de final.

A bola que De Bruyne jogou foi dessas atuações que ficam na memória dos torcedores. O meio-campista foi colocado em uma posição um pouco diferente da habitual e foi quem mais levou perigo. A bola que passava pelos pés do camisa 17 viraram momentos de corações apertados dos torcedores da casa e corações acelerados dos torcedores do City. O belga mostrava uma qualidade imensa, categoria, técnica e chamava o jogo. Foi ele o grande nome do jogo, mas contou com a colaboração de Gabriel Jesus, outra surpresa da escalação.

Zinedine Zidane fez a escolha de começar o jogo com Vinícius Júnior do lado esquerdo do ataque. Além do brasileiro, entrou Isco pela direita, puxando para o meio, com Karim Benzema no centro do ataque. No meio-campo, Casemiro era o pivô defensivo, com Luka Modric e Federico Valverde um pouco mais à frente. Toni Kroos ficou no banco.

No lado do Manchester City, Pep Guardiola fez várias escolhas surpreendentes. A começar pela zaga: entraram em campo Nicolás Otamendi e Aymeric Laporte. Fernandinho ficou no banco. No meio-campo, Rodrigo jogou ao lado de Ilkay Gündogan, com Riyad Mahrez e Gabriel Jesus pelos lados do campo.

Gabriel Jesus não se posicionava exatamente como um camisa 9, embora este seja o seu número de camisa. Sem a bola, o atacante brasileiro voltava fechando o lado esquerdo. Quem ficava mais à frente era Bernardo Silva, com Kevin De Bruyne logo atrás dele. Riyad Mahrez jogava aberto pela direita, mas fechando o meio. Jesus fechava o lado esquerdo. Sem a bola, portanto, o City jogava em um 4-4-2, com De Bruyne e Bernardo Silva à frente. E muito fechado.

O Manchester City teve uma grande chance aos 20 minutos. Kevin De Bruyne deu um belo passe para Gabriel Jesus, que entrou vindo da esquerda, recebeu dentro da área, fez a finta na marcação e chutou forte. O goleiro Thibaut Courtois fez uma boa defesa para impedir o gol. O chute não foi muito direcionado, mas foi forte, a uma curta distância.

Aos 29 minutos, em um ótimo cruzamento de Ferland Mendy, Benzema tocou de cabeça, no contrapé de Éderson. Parecia um gol certo, mas o goleiro brasileiro foi buscar em uma defesaça. Foi a chance mais clara do Real Madrid no primeiro tempo. O Manchester City perdeu Laporte aos 32 minutos. Voltando de lesão, o jogador voltou a sentir e acabou deixando o gramado. Entrou o brasileiro Fernandinho na função.

Nos acréscimos, depois de escanteio, Courtois espalmou para a segunda trave, onde estava Gabriel Jesus. O brasileiro pegou de primeira. A bola bateu em Sergio Ramos e Casemiro tirou em cima da linha. Foi o lance final do primeiro tempo. O placar terminou mesmo 0 a 0 no primeiro tempo.

Logo no início do segundo tempo, Casemiro errou no meio-campo, com uma tentativa de calcanhar que ele furou. No contra-ataque, a bola caiu nos pés mais perigosos: Kevin De Bruyne. Ele avançou em velocidade, abriu para Mahrez, que chutou colocado, mas mandou para fora.

O segundo tempo começou melhor para o Manchester City, que não só teve a primeira chance, como teve a bola para trabalhar no campo de ataque. O Real Madrid não conseguia sair com qualidade para o jogo. Só conseguiu ter um pouco de espaço em um lance de correria de Vinícius Júnior, lançado pela esquerda, mas que não conseguiu finalizar.

O City teve mais uma chance aos 11 minutos. Lançamento por cima da zaga, com Mahrez recebendo com liberdade. Sem perder tempo, ele girou e chutou de pé direito, que não é o seu melhor. O chute foi perigoso pela distância do gol, mas não foi preciso. O goleiro Courtois defendeu, espalmando o lado.

Só que um lance errado e tudo desabou. Rodri passou mal a bola, Modric dividiu com Otamendi, que sobrou à frente. Vinícius foi esperto, tomou a bola de Walker, rolou para o meio e Isco teve calma para dominar e tomar na saída de Éderson. Gol do Real Madrid no Santiago Bernabéu: 1 a 0, aos 60 minutos (15’/2T).

Nos primeiros minutos depois do gol, o Manchester City reagiu tentando se colocar mais à frente ainda no campo. Mas isso arrefeceu logo em seguida. O Real Madrid ganhou confiança, passou a pressionar mais a marcação alta, o que levou o time visitante a errar mais também. Assim, aos poucos, o Real Madrid conseguia controlar mais o jogo com a bola. E começou a chegar mais ao ataque. O City parecia sentir o jogo. O Real Madrid, em vez de se retrair, apertava para deixar o City mais desconfortável.

O Manchester City mudou aos 73 minutos (28’/2T), sacando Bernardo Silva, apagado no jogo, e levando a campo Raheem Sterling. Como o atacante voltava de lesão, começou no banco, embora seja indiscutivelmente titular do time de Guardiola. Ele teria pouco mais de 15 minutos para tentar algo diferente no jogo. No Real Madrid, um minuto depois, Vinícius Júnior deixou o gramado, aos 74, para a entrada de Gareth Bale. O brasileiro foi aplaudido ao sair de campo. Foi bem no jogo.

A entrada de Sterling colocou Gabriel Jesus posicionado mais à frente, ao lado de De Bruyne no ataque. E foi com os dois que o time criou mais uma chance de gol. De Bruyne recebeu do lado esquerdo, girou em meio a três jogadores e conseguiu cruzar. Gabriel Jesus ganhou de Sergio Ramos de cabeça, tocou de cabeça e marcou: 1 a 1, aos 78 minutos (33’/2T). Novamente o jogo estava empatado, curiosamente quando o Real Madrid parecia ficar confortável no jogo.

Com o gol de empate, o Manchester City conseguiu aproveitar o momento. Sterling entrou na área e acabou derrubado por Dani Carvajal. O árbitro Daniele Orsato, da Itália, não deve dúvidas: apontou a marca da cal. Pênalti para o Manchester City. Kevin De Bruyne, capitão do time na noite europeia, cobrou com frieza e marcou, tirando Courtois da foto: 2 a 1 para o Manchester City e virada na capital espanhola. O time de Guardiola, mais uma vez, machucava o Real Madrid. Os madridistas reclamaram de falta em Sergio Ramos, algo que pareceu não haver.

Quando o torcedor do Real Madrid achava que as coisas não poderiam piorar, um passe errado fez tudo se complicar ainda mais. Sergio Ramos cortou uma bola de cabeça, Varane tocou errado para trás e Gabriel Jesus tomou a bola, deu um drible da vaca em Sergio Ramos e acabou derrubado pelo zagueiro, a um passo da grande área. O árbitro marcou a falta e mostrou cartão vermelho para o zagueiro espanhol, capitão do Real Madrid. Mahrez cobrou a falta por baixo, mas sem perigo.

Os minutos finais pareciam um filme de terror para o público no Bernabéu. A arquibancada sentiu, o time sentiu e o Manchester City parecia estar tentando aproveitar o momento para ampliar ainda mais a sua vantagem. Não deu tempo, mas a vantagem que o time de Guardiola para o segundo jogo é considerável. O time vai para o Etihad Stadium com a vitória nas mãos, podendo empatar com o Real Madrid para avançar, e, principalmente, tendo jogado mais bola que o rival.

O futebol permite surpresas e o Real Madrid é uma das camisas mais pesadas do mundo. Nunca pode ser subestimada. Feitas as considerações, pela bola jogada, o Manchester City parece estar mais perto da classificação. Não foi um resultado conseguido por acaso no estádio adversário. Foi um resultado de um time que foi melhor ao longo do jogo, mesmo que tenha sido um confronto equilibrado.

O time de Zidane tem certamente força que poderá mostrar no segundo jogo. Mas terá que fazer isso sem o seu capitão Sérgio Ramos e sem ter um Cristiano Ronaldo que resolvia jogos em anos anteriores. Será uma missão difícil e alguém precisará se apresentar para a missão. O jogo pode ser bastante interessante.