De Arshavin a Benayoun, a abertura da Liga Europa ressuscitou vários medalhões

Competição continental começou nesta quinta-feira logo com 50 jogos ao redor do continente

A temporada 2016/17 nem bem esfriou, mas a de 2017/18 já começa a esquentar as suas engrenagens. Nesta semana, as competições continentais na Europa tiveram seu pontapé inicial. Pela Liga dos Campeões, apenas seis times entraram em campo na primeira etapa preliminar. Enquanto isso, a quinta-feira de Liga Europa foi recheadíssima, com nada menos que 50 partidas. Festival de gols, de clubes alternativos e até mesmo de velhos conhecidos. Alguns jogadores tarimbados no cenário internacional, mas que andavam meio sumidos, aproveitaram para balançar as redes em vários cantos durante a rodada gorda.

A melhor história é a de Yossi Benayoun. O meia de passagem marcante pelo Liverpool voltou para Israel em 2014. Desde então, rodou por diferentes equipes de seu país. Depois de Maccabi Haifa e Maccabi Tel-Aviv, transferiu-se ao Beitar Jerusalem. E impressionou logo em sua estreia. Os israelenses perdiam em casa para o Vasas por 3 a 1 até os 42 do segundo tempo. Foi quando o veterano de 37 anos entrou em ação. Marcou um gol, deu a assistência para o empate e ainda viu o companheiro Erik Sabo definir a virada aos 48. Valiosíssima vitória por 4 a 3, que dá a vantagem do empate para o reencontro na Hungria.

Outra figurinha carimbada a aparecer foi Andrey Arshavin. Aos 36 anos, já está em sua segunda temporada pelo Kairat Almaty, do Cazaquistão. E o clube não teve problemas para golear o Atlantas Klapeida. Os lituanos voltaram para casa com um 6 a 0 na bagagem e dois gols do russo. Na Armênia, quem desequilibrou foi Filip Holosko. O centroavante eslovaco voltou para casa nesta temporada, após uma longa trajetória no futebol turco, especialmente pelo Besiktas. Não decepcionou na estreia pelo Slovan Bratislava, anotando dois gols nos 4 a 1 sobre Pyunik Yerevan.

O Rangers retornou às competições continentais com o pé direito. Não foi lá um resultado tão impressionante contra os luxemburgueses do Progrès Niederkorn, mas a vitória por 1 a 0 aconteceu. Cortesia do centroavante Kenny Miller, do alto de seus 37 anos. Por fim, na goleada do Midtjylland, vale destacar que Jakob Poulsen ainda tem lenha para queimar. O meio-campista de 33 anos e longa lista de serviços prestados à seleção dinamarquesa possibilitou a goleada por 6 a 1 sobre o Derry City, com um gol e duas assistências.