Exceção feita ao posto mais importante, a liderança, a Bundesliga costuma ser bastante equilibrada. Enquanto o Bayern de Munique nada de braçada, a maioria se engalfinha. E, em meio ao pelotão intermediário, o sprint pode ser o suficiente para que um clube mire a participação nas competições europeias. É o caso recente de Stuttgart e Werder Bremen. Até o final de 2017, ambos eram seríssimos candidatos ao rebaixamento. A pausa de inverno, contudo, foi muito bem aproveitada. Agora ambos pegam embalo e se aproximam da zona de classificação à Liga Europa, o que seria um prêmio e tanto à arrancada.

Neste momento, levando em conta apenas a pontuação do segundo turno, a dupla estaria em um hipotético G-4 – liderado, obviamente, pelo Bayern. O Stuttgart teve alguns momentos felizes na primeira metade da Bundesliga, mas somou apenas 17 pontos, o que não livrara o risco de retornar à segundona. As coisas nem pareciam tão diferentes assim no início de fevereiro, com duas derrotas nas três primeiras rodadas do returno, também com a chegada do técnico Tayfun Korkut. Desde então, os suábios não perderam mais. São cinco vitórias e dois empates em sete rodadas. Ocupam a oitava posição, com 37 pontos, a três do RB Leipzig, em sexto.

Abrindo a rodada, o Stuttgart venceu o Freiburg fora de casa nesta sexta, por 2 a 1. E o grande artífice do resultado foi o homem de referência dos alvirrubros, Mario Gómez. O centroavante, convocado novamente para a seleção alemã após 11 meses de ausência, anotou os dois gols em lances de oportunismo. É um dos principais responsáveis pelo impulso recente, acumulando seis tentos e uma assistência nas últimas sete rodadas. Depois de um primeiro turno abaixo das expectativas, marcado também por uma lesão, o velho ídolo volta ao seu melhor.

Já o Werder Bremen estava ainda mais ameaçado pelo rebaixamento. O time só conheceu o que era vitória em seu 12° jogo no campeonato e passou 13 das primeiras 17 rodadas no Z-2. Ao final do primeiro turno, chegou aos 15 pontos e até saiu da zona do rebaixamento direto, ocupando a vaga nos playoffs, mas prometia uma disputa acirrada com o rival Hamburgo para ver quem se salvaria. Não foi o que aconteceu. Os verdes conquistaram 18 dos últimos 30 pontos disputados, um rendimento notável para suas pretensões anteriores. Mesmo sem vencer os seus primeiros três compromissos no returno, o time tem cinco triunfos nas últimas sete partidas.

Cabe dizer que a guinada do Bremen também dependeu da mudança no comando: aos 35 anos, Florian Kohfeldt assumiu em novembro, promovido do segundo time. E também há um jogador rodado liderando o ataque, Max Kruse. Neste sábado, o camisa 10 fez um gol e deu uma assistência no triunfo por 3 a 1 sobre o Augsburg, fora de casa. São seis gols e oito assistências na competição. Neste momento, os verdes estão no 12° lugar, a sete pontos do G-6 e a oito de distância do Z-3. Considerando que os quatro times nas semifinais da Copa da Alemanha compõem o G-6 atualmente, a última vaga à Liga Europa ainda tende a sobrar ao sétimo colocado.

Outro time que faz ótimo segundo turno é o Eintracht Frankfurt. As Águias não tiveram piedade do ameaçado Mainz 05 e ganharam por 3 a 0, chegando aos 45 pontos, provisoriamente na quarta colocação. Borussia Mönchengladbach e Hoffenheim protagonizaram o jogo mais emocionante do sábado, com o empate por 3 a 3 – no qual os Potros buscaram a igualdade três vezes, a última delas com um gol de Matthias Ginter aos 44 do segundo tempo. Já a nota lamentável, mais uma vez, fica para o Hamburgo. Os Dinossauros tomaram a virada em casa para o Hertha Berlim, por 2 a 1, e seguem candidatíssimos ao rebaixamento.