A maioria dos jogadores sabe que, ao atingir certa idade, se não tiver tido sua primeira oportunidade nos campeonatos de alto nível, dificilmente ela virá na reta final da carreira. Mas em uma história para servir de exemplo de que realmente nunca é tarde demais, David Martin, goleiro já com 33 anos de idade, fez neste sábado (30) a sua estreia na Premier League – e por seu time do coração, o West Ham. Mais do que isso, o fez contra o Chelsea, na casa dos adversários, e foi um dos grandes nomes da vitória por 1 a 0 dos Hammers.

O West Ham não vencia o Chelsea no Stamford Bridge desde 2002. O resultado marcante veio graças ao bonito gol do lateral esquerdo Cresswell, mas também graças ao trabalho de Martin, que fez seis defesas e ajudou a impedir que os Blues igualassem o placar.

Naturalmente, diante de um dia tão emotivo para ele, Martin acabou em lágrimas no fim da partida, celebrado por seus companheiros e, mais tarde, abraçado por seu pai. E é justamente na família que encontramos um laço que torna a história ainda mais digna de nota.

David Martin é filho de Alvin Martin, ex-capitão do West Ham e ex-jogador da seleção inglesa. Alvin Martin, zagueiro, jogou nos Hammers entre 1978 e 1996, basicamente toda a sua carreira. A única exceção foi a temporada seguinte à 1995/96, quando defendeu o Leyton Orient antes de se aposentar.

“Quando vi meu pai, estávamos nós dois em lágrimas, então não falamos muito. Mas para o meu pai, ver isso aqui, no clube em que ele jogou por 21 anos (contando categorias de base), fazer minha estreia, sair sem ser vazado e conseguir uma vitória com os rapazes, é uma sensação fantástica”, comentou Martin após o jogo.

Para o goleiro, o dia que viveu no sábado “não parece real”. Ele avalia que teve uma carreira decente, jogando algumas partidas, mas que nada disso te prepara para estrear, a essa altura, na Premier League.

“Não comi direito nos últimos dois dias. O Cress (Aaron Cresswell) ria de mim, porque tiravam meu prato e eu não tinha terminado minha comida.”

David Martin chegou a passar pelas categorias de base do West Ham, mas teve sua primeira chance como profissional pelo Wimbledon e, depois, MK Dons, entre 2003 e 2006. De 2006 a 2010, teve contrato com o Liverpool, mas sempre sendo emprestado. Em 2010, retornou ao MK Dons, onde ficou até 2017, antes de ir ao Milwall. Duas temporadas depois, com apenas 11 jogos de liga, partiu para o rival West Ham no início desta temporada, e assim começava seu conto de fadas particular.

David Martin abraçando seu pai, o ex-jogador do West Ham Alvin Martin

Manuel Pellegrini, que balança no cargo de técnico dos Hammers, elogiou seu debutante. “Sabemos que sua família tem um laço com o clube. Não foi fácil para ele fazer sua estreia na Premier League. Mas acho que, desde a primeira vez que falei com ele na semana, senti que ele estava preparado. Antes do jogo, ele estava bastante quieto, mas demonstrou o que precisava ao longo dos 95 minutos.”

Sem Fabianszki desde setembro por causa de uma lesão, Pellegrini vinha apostando em Roberto para o gol do West Ham. Depois de sofrer nove gols nas últimas três rodadas, o espanhol perdeu seu espaço e deu lugar a Martin, que certamente fez o suficiente para ganhar mais outra oportunidade antes do retorno do polonês. Que o veterano iniciante estenda ao máximo o momento que viveu neste final de semana.